As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A Itália está fora da Copa. Azar o dela!

Almir Leite

14 Novembro 2017 | 15h25

A Itália está fora da Copa. Azar da Copa. Tal pensamento tomou conta de comentários e manifestações em rede social de forma avassaladora a partir do momento em que a classificação sueca ao Mundial da Rússia foi sacramentada. Respeito. Mas não concordo nem um pouco.  A Itália não ficou fora porque deu azar, ou foi prejudicada pela arbitragem (roubada no dito popular), por exemplo. Está fora porque foi incompetente.

Assim sendo, meu lema é: a Itália está fora da Copa. Azar o dela! Não comungo com quem defende a tradição. Prefiro uma referência bastante usada há algumas décadas, e hoje praticamente em desuso: quem vive de passado é museu.

A Itália é tetracampeã mundial. Tem história, tradição. Mas e daí? Isso é passado. Respeitável e que tem de ser respeitado. Não influi no presente.

Aliás, até o próprio passado, este mais recente, atesta que a Azzurra acaba de receber um merecido castigo. Ou vamos esquecer que não passou da primeira fase nas Copas de 2010 (África do Sul) e de 2014 (Brasil)?


O futebol italiano, e isso se reflete na seleção, vem fazendo água faz tempo. Vive da Juventus, que tem um time recheado de estrangeiros. Isso não é necessariamente um mal. Mas o não surgimento de novos jogadores com talento, a não modernização tática (existe coisa mais chata e previsível do que jogo do Campeonato Italiano0, o não aparecimento de novos treinadores (e o desprezo dos que já estão por aí, e que demonstram competência, como Capello e Conti), a forma arcaica de gerir os times…

Tudo isso contribuiu para o empobrecimento do futebol italiano. E a seleção, sem jogadores talentosos – tem um ótimo goleiro, mas até ele é veterano, bons zagueiros e um jogador do meio pra frente com alguma qualidade, caso de Insigne -, é reflexo disso.

Cedo ou tarde, uma hora a vaca iria para o brejo. Foi. E se atolou porque porque nada fez para evitar a tragédia.

Que o vexame sirva de lição, e de alento, para a reconstrução do futebol italiano. Mas, por ora, bem-feito para a Azzurra ter ficado fora da Copa.