0

Antero Greco

20 Janeiro 2016 | 22h57

Gostou do aperitivo do Palmeiras, no jogo com o Libertad? Primeira apresentação do ano da turma de Marcelo Oliveira, 2 a 0 sobre os paraguaios e vaga na final do torneio de Montevidéu, contra o ganhador de Nacional x Peñarol. Ora, ora, nem bem começou 2016 e já tem taça na parada. A decisão será na noite de sábado.

Claro que tem exagero nessa história de troféu. O torneio de tiro curto não passa de etapa de preparação para a temporada, uma chance para o treinador observar jogadores, avaliar a condição dele, fazer ajustes no time. Seria absurdo cravar sentenças definitivas, otimistas ou negativas, por causa de um amistoso.

A partida valeu como treino de luxo – e não passa disso. A base da equipe é aquela que conquistou a Copa do Brasil e ganhou o direito de participar da Libertadores, logo mais. Algumas mudanças ocorreram por causa de atletas que acabaram de chegar. Mas, em síntese, não há como nem por que mudar intensamente a escalação que fechou 2015.

Na defesa, Marcelo manteve Prass (intocável, sem dúvida), Lucas e Zé Roberto. No miolo da zaga, entrou Edu Dracena, com atuação segura. Ao lado dele, Leandro Almeida, que deve ir para o banco na hora em que Vitor Hugo estiver bem para entrar.

No meio, o Palmeiras começou com Matheus Sales, Arouca e Robinho, com Dudu e Gabriel Jesus pouco mais à frente. No ataque, Alecsandro, pois Barrios ficou em São Paulo aprimorando a forma. No meio-campo, ainda deve voltar Gabriel, titular até se machucar no meio do ano.

O Palmeiras teve dificuldades na armação, não criou muito, mas fez o suficiente para os dois gols, ambos no segundo tempo (Allione e Moisés). Não pelo gol, mas pelo espírito de iniciativa, Moisés deu conta do recado. É um dos que chegaram e pode ser usado com frequência.

Enfim, exibição normal. Marcelo e atletas sabem que serão mais cobrados, porque o elenco é praticamente o mesmo, acrescido de contratações. O nível de exigência do palestrino subirá.

Como antepasto, valeu. Vamos ver como será quando for o momento do prato principal.

Comentários