Pagar multa por Pato valeria a pena?

Antero Greco

06 Março 2015 | 15h57

Domingo tem São Paulo x Corinthians, pelo Campeonato Paulista, e se falou na possibilidade de Pato jogar, desde que se pague multa. Como o rapaz tem vínculo com a turma alvinegra, só recebe sinal verde para entrar em campo se os tricolores pagarem 5 milhões de reais. Está no contrato, é cláusula do acerto entre os dois clubes quando houve o negócio – que, na época, envolveu também Jadson, esse hoje em dia totalmente liberado. Pato só depois de 31 de dezembro

Na época, escrevi que o ideal seria ambos atuarem sem amarras, como deveria ser sempre. Infelizmente é tradição que persiste por aqui, essa de jogador emprestado não enfrentar o time de origem. No caso de Pato, acrescenta-se o fato de o Corinthians bancar parte dos salários. Daí, a argumentação de que não faz sentido pagar alguém e vê-lo jogar contra.

É um dos equívocos do nosso futebol. Como seria estapafúrdio o São Paulo topar a parada e botar a mão no bolso só pelo capricho de fazer com que o atacante deixe o Corinthians preocupado. Não é profissionalismo e a atitude demonstraria inconsequência da diretoria. Que, certamente, seria cobrada pelo Conselho. Não há dinheiro para jogar pela janela.

O Corinthians até acenou com a hipótese de parcelar essa dívida, mas os cartolas tricolores não embarcaram na conversa. No que agiram muito bem. Pena que o duelo perderá em atração, pois seria muito interessante acompanhar o comportamento do goleador diante de ex-companheiros, ainda mais que deixou o Parque São Jorge por baixo. Além disso, Pato vive fase muito boa, com gols nas competições de que o time participa. A pausa vem em hora errada.

Mas essa fica para mais tarde. Muricy, no momento, terá de se virar para definir o companheiro de Luis Fabiano no comando do ataque. Teoricamente, melhor para o Corinthians. Mas só na teoria…