Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Robinho, o sucessor

Futebol

0

Antero Greco

24 Fevereiro 2016 | 01h06

Ronaldinho Gaúcho estava em baixa em 2012 quando aceitou proposta para jogar no Atlético-MG. Mandou-se de mala e cuia para BH e foi feliz e levou alegria ao Galo. Sobretudo na campanha vitoriosa do inédito título da Libertadores de 2013. Em seguida, despencou no desempenho, a ponto de não terminar a temporada de 2014. Mas marcou presença no coração do torcedor.

Agora é a vez de Robinho tomar o lugar de Ronaldinho. E, de novo, o desafio é a conquista da América. O astro maduro desembarcou no clube dias atrás e nesta quarta-feira estreia na competição no jogo com o Independiente Del Valle, no Independência.

Há expectativa em torno do que Robinho pode acrescentar ao grupo dirigido por Diego Aguirre. Ele chega com o status de primeiro solista da companhia alvinegra e com a missão de preencher espaço vago desde a saída do gaúcho. E prometeu dar conta do recado.

Claro que cautela é tão bom quanto caldo de galinha. Mas não se perde nada por apostar num atleta já trintão, rodado, que vai e vem do exterior, e que comprovadamente teve mais sucesso por aqui do que nas incursões na Europa e na China.

Robinho não tem o repertório de Ronaldinho, um dos mais completos malabaristas que já apareceram no futebol.  Não significa que Robinho seja mediano; ele está acima do normal. A questão é que compará-lo com Ronaldinho seria injusto, pois se trata de um fora de série.

A vantagem de Robinho, no entanto, está na regularidade e no histórico de raras contusões. A tendência é a de que defenda o Atlético com mais frequência e, portanto, venha a contribuir por uma trajetória interessante na Libertadores.

A conferir.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários