Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Valdivia não tira o Palmeiras da cabeça

Futebol

0

Antero Greco

24 Fevereiro 2016 | 14h55

Valdivia saiu do Palmeiras, mas pelo visto o Palmeiras não saiu de Valdivia. O chileno está fora do Palestra há bom tempo, mas não o tira da cabeça. Vira e mexe coloca em redes sociais comentário relacionado a seu ex-clube. Ou para mostrar-se próximo da torcida ou para alguma cornetada.

O mais recente encaixa-se no segundo caso. Na conta que mantém no Twitter, o rapaz que anda pela Arábia mandou hoje o seguinte post: “Ue problema de lesão não era so comigo ? Ah q era muito, q era migue , não se cuidava ? kkkkk tempo ao tempo q da razão ..!” (Mantida a grafia original, com ausência de acentos, erros e abreviações.)

Depreende-se que Valdivia tenha mandado indireta bem direta para o departamento médico palmeirense por causa de episódios de jogadores do elenco atual há muito fora de combate. O caso mais gritante é o de Cleiton Xavier, que nunca manteve regularidade desde que voltou, um ano atrás. E outros avulsos.

A estocada de Valdivia parece outra tentativa de espantar fantasmas que o perseguem. Ou mais: um esforço de comprovar que os imensos, intermináveis, seguidos períodos em que ficava no estaleiro se deviam a falhas no atendimento que recebia. Como se ele não tivesse nada a ver com a história, como se fosse vítima de incompetência, azar ou descaso.

O histórico de Valdivia, nos cincos longos anos que durou a segunda passagem pelo Palmeiras, fala por si. Ele próprio admitiu, e mais de uma vez, que teve parcela de culpa nas recaídas de contusão por não seguir à risca o que dita a cartilha do profissional “caxias”. Por que, então, insistir com as picuinhas com a antiga agremiação?

Valdivia fará melhor para si mesmo se tocar a vida na boa, com atenção voltada para o clube que lhe paga os salários na atualidade. E, mais ainda, se esquecer o Palmeiras. Precisa entender que um é página virada para o outro. O Palmeiras existiu, e muito bem, antes de Valdivia; Continuará a existir, por muito tempo, e extremamente bem, sem ele.

Se Valdivia tenciona preservar um pouco da imagem que lhe resta como jogador talentoso que vestiu a camisa verde, fará melhor se parar de atacar o clube. Já deu, já foi, já passou o tempo dele por lá.

Se não ofereceu mais do que o público esperava, ok, paciência. Às vezes, acontece. Mas não queira insistir em ter um lugar que não lhe cabe, numa galeria que conta com ídolos, ídolos de verdade, como Ademir, Dudu, Luiz Pereira, Marcos, Leivinha, César Sampaio, Evair, Cléber, César Maluco. Há dezenas à frente dele.

Que Valdivia seja feliz na vida e olhe para a frente. Com a certeza de que o Palmeiras segue feliz e leve, pois está acima e além de jogadores de passagem.

Comentários