Ex-campeão mundial dos pesos pesados pede ajuda para não perder a casa

Ex-campeão mundial dos pesos pesados pede ajuda para não perder a casa

Aos 50 anos, Riddick Bowe sofre com problemas financeiros

Wilson Baldini Jr.

06 Dezembro 2017 | 10h17

Crédito: Arquivo/Estadão

 

O norte-americano Riddick Bowe foi campeão mundial dos pesos pesados em 1992. Com 1,95 metro de altura e  110 quilos de peso, “Big Daddy” surgiu com potencial para ser um dos grandes boxeadores da história. Bonito, inteligente e carismático, logo ganhou os holofotes da mísia e o respeito do público.

Ao lado de Evander Holyfield, foi protagonista de uma das melhores trilogias da história do boxe. Ainda somou triunfos históricos sobre veteranos como Pierre Coetzer, Jesse Ferguson e Michael Dokes, além de combates marcantes com Herbie Hide, Jorge Luis Gonzalez e Larry Donald.


Os dois grandes duelos com o polonês Andrew Golota, em 1996, foram decisivos. Golota acabou desclassificado em ambas as oportunidades por excesso de golpes baixos. A primeira luta em Nova York foi marcada por uma tremenda confusão com fãs dos lutadores terminando em uma batalha sobre o ringue.

O fato parece ter mexido com a cabeça de Bowe. Logo depois, chegou a se alistar na Marinha americana, depois, com depressão, foi preso por “raptar” seus cinco filhos. Ficou oito anos afastado dos ringues, engordou muito, fez três lutas inexpressivas e sumiu do noticiário.

Seu cartel foi de 43 vitórias (33 nocautes) e apenas uma derrota.

Com problemas financeiros, Bowe chegou a fazer lutas de kick boxing. Com o auxílio de Holyfield, voltou  ao noticiário com os 25 anos da trilogia.

Agora, aos 50 anos, pede doações para pagar as mensalidades de sua casa.