Há 27 anos, Holyfield era campeão, ao bater Douglas, o algoz de Tyson

Há 27 anos, Holyfield era campeão, ao bater Douglas, o algoz de Tyson

Wilson Baldini Jr.

25 Outubro 2017 | 01h32

Depois de assombrar o mundo, ao vencer Mike Tyson, em Tóquio, sob uma bolsa que o apontava como zebra na proporção de 42 por 1, James Buster Douglas subiu no ringue novamente após oito meses e duas semanas para enfrentar Evander Holyfield.

Douglas era o campeão unificado dos pesos pesados na época e ostentava os cinturões do Conselho Mundial de Boxe (CMB), Associação Mundial de Boxe (AMB) e Federação Internacional de Boxe (FIB).

O Douglas determinado diante de Tyson deu lugar a um pugilista relaxado, seis quilos e meio mais gordo e satisfeito com os US$ 24 milhões recebidos como bolsa pela primeira defesa de título.

Holyfield, ao contrário, estava na ponta dos cascos. Com um físico invejável e um preparo extraordinário, “The Real Deal” imprimiu um ritmo alucinante, dominou amplamente as ações e venceu por nocaute no terceiro assalto.

Holyfield iniciava ali uma era dentro da principal categoria do pugilismo. Douglas praticamente se aposentou, chegou a pesar 160 quilos, quase morreu de diabetes, chegou a voltar a lutar, mas jamais teve condições mínimas para voltar a disputar um combate importante.