Há 43 anos, Muhammad Ali deu uma lição em George Foreman

Há 43 anos, Muhammad Ali deu uma lição em George Foreman

Uma luta que virou livro, documentário, que entrou para a história como um dos duelos mais sensacionais da história do boxe

Wilson Baldini Jr.

30 Outubro 2017 | 01h11

 

Uma luta que virou livro, documentário, que entrou para a história como um dos duelos mais sensacionais da história do boxe.

Em 30 de outubro de 1974, em Kinshasa, no Zaire, George Foreman colocava seu título mundial dos pesos pesados em jogo. Ele havia ganho no ano anterior do lendário Joe Frazier, após derrubar seis vezes o oponente. Depois massacrou Joe Roman e ainda Ken Norton. Tudo isso em apenas cinco roundes.

Por isso, Foreman era apontado como invencível. Ali, segundo os críticos, não tinha a menor chance de vitória e até correria perigo de morte.

E o começo do combate parecia que todos estavam certos. O problema era que Ali não era um brigador como Foreman. Ele usava muito bem sua inteligência.

Ali soube administrar a violência inicial de Foreman, cansou o grandalhão, passou a dominar as ações e obteve um dos nocautes mais incríveis no oitavo assalto.

Ali recuperava o cinturão, enquanto Foreman entrava em uma depressão, que o levaria a ficar dez anos afastado dos ringues.