Se Murata vencer, Esquiva disputa o título mundial

Wilson Baldini Jr.

20 Outubro 2017 | 09h36

 

O Brasil pode disputar um título mundial no boxe no início de 2018. Para que isso tenha possibilidade de ocorrer é preciso que o japonês Ryota Murata vença o camaronês Hassan N’Dam, neste domingo, em Tóquio, Japão.

O duelo é uma revanche, pois, em 20 de maio, Hassan N’Dam venceu em decisão bastante contestada, a ponto da Associação Mundial de Boxe ter destacado uma comissão que analisou a luta por intermédio de vídeo e ordenou um segundo combate.

No primeiro, o jurado Raul Caiz Jr. viu vitória de Murata por 117 a 110, enquanto Gustavo Padilla (116 a 111) e Hubert Earle (115 a 112) indicaram o africano como o vencedor.

A empresa Top Rank, do lendário Bob Arum, tem o interesse de fazer uma primeira defesa de título de Murata diante de Esquiva Falcão. A ideia é vender a luta como uma revanche olímpica, afinal o japonês ganhou a medalha de ouro em Londres-2012 exatamente contra o brasileiro.

Esquiva vai se apresentar dia 3 de novembro, na Flórida. O capixaba soma 18 vitórias, com 12 nocautes.