Era dia de festa. Mas era dia de jogo também.

Era dia de festa. Mas era dia de jogo também.

Bruno Voloch

21 Outubro 2017 | 10h28

Esqueceram de avisar Valinhos. Essa é a única explicação para a vitória de Osasco por 3 a 2 no Liberatti.

É aquele famoso ponto irrecuperável. Certamente irá fazer falta na frente.

O clima de festa, justificável diga-se de passagem, por causa da apresentação da peruana Leyva e do novo uniforme, bonito por sinal, contagiou o time de Osasco que entrou em quadra sem a concentração necessária.

Não dá para fazer 3 a 2 contra Valinhos.

Perder um set é até aceitável, dependendo das circunstâncias e ainda mais em início de temporada, mas levar o jogo para o tie-break é preocupante.

Pior é que Osasco dominou o jogo e poderia ter feito tranquilamente 3 a 0. Poderia.

Faltou regularidade.

Sorte que era Valinhos.