Esperança e olho no México

Esperança e olho no México

Bruno Voloch

17 Julho 2017 | 09h31

A decepção é grande com o desempenho da seleção feminina adulta. A campanha no Grand Prix é bem abaixo do esperado.

Se a fase de classificação terminasse hoje o BRASIL estaria fora das finais que acontecerão na China.

Ainda existe esperança. Se vencer os 3 jogos, Bélgica, Holanda e Estados Unidos, que disputará em Cuiabá no próximo fim de semana, a seleção se classifica em quarto ou quinto lugar.

José Roberto Guimarães não tinha alternativa e foi obrigado a testar algumas jogadoras. O Grand Prix, até agora, se não trouxe resultados positivos serviu para mostrar que boa parte dessas jogadoras não pode jogar na seleção.


Fato.

Enquanto isso no México, onde está sendo jogado o mundial sub-20, o BRASIL, sob comando de Haírton Cabral, técnico do São Caetano, vai indo bem com 100% de aproveitamento.

A base é formada pela levantadora Jackeline, a oposta Tainara, as centrais Lorena e Karyna Malachias, as ponteiras Glayce e Karina e a líbero Victória.

Karina, pelo que dizem, é a autêntica ponteira passadora. Melhor passe do campeonato.

A seleção venceu os 3 jogos que fez e saiu em primeiro lugar no grupo que tinha Estados Unidos, Sérvia e Cuba.

Agora o BRASIL terá Polônia, Turquia e Rússia como adversárias na segunda fase. Os dois primeiros avançam e jogarão as semifinais do mundial.

Bulgária, Japão, Estados Unidos e China estão do outro lado.

O BRASIL não ganha o mundial desde 2007. É o atual vice-campeão.