Fiasco no Europeu expõe crise na Rússia: ‘Não dá para jogar só com Goncharova e Kosheleva’, desabafa Fetisova

Fiasco no Europeu expõe crise na Rússia: ‘Não dá para jogar só com Goncharova e Kosheleva’, desabafa Fetisova

Bruno Voloch

03 Outubro 2017 | 07h51

A Rússia trocou de técnico às vésperas do campeonato europeu e pelo jeito nada mudou. É bem verdade que Konstantin Ushakov teve pouco tempo para trabalhar. Menos de 10 dias.

A seleção da Rússia chegou ao Azerbaijão como bicampeã da Europa. Só que dentro de quadra, assim como já havia acontecido no Grand Prix e na Copa dos Campeões do Japão, o time decepcionou.

A eliminação nas quartas de final para a Turquia, medalha de bronze, foi um dos piores resultados da história da seleção feminina em 68 anos.

A Rússia terá 1 ano para se preparar para o mundial do Japão.

Inconformada com a má campanha, a central Irina Fetisova soltou o verbo, detonou a crise e saiu em defesa do novo treinador:

Konstantin Anotolovich está certo. É impossível jogar durante vários anos apenas em função da Tatyana (Kosheleva) e da Nataliya (Goncharova). Elas são ótimas, diferenciadas, mas os nossos adversários já conhecem nosso estilo de jogo. Elas precisam ser ajudadas. Eu fiz o máximo’.

Irina Fetisova, 23 anos, é central do Dinamo Moscou.