Força dos ‘senadores’ e fragilidade de Renan ameaçam convocação de Leal para seleção brasileira

Força dos ‘senadores’ e fragilidade de Renan ameaçam convocação de Leal para seleção brasileira

Bruno Voloch

09 Maio 2018 | 08h39

A sonhada convocação de Leal para a seleção brasileira está ameaçada.

Os últimos episódios envolvendo o técnico Renan Dal Zotto e a convocação de Murilo deixaram claro que a política continua a mesma com os ‘senadores’ ditando as regras e intocáveis.

A recente entrevista do líbero Serginho, do Cruzeiro, criticando abertamente a falta de critério do treinador e a força dos ‘senadores’, coloca em risco uma eventual convocação de Leal.

O jogador, contratado pelo Lube Civitanova, da Itália, vai estar à disposição a partir de maio de 2019, ou seja, daqui a um ano exatamente.

Lipe e Murilo já declararam abertamente que são contra a convocação de Leal.

Se parte do ‘senado’ é contra, a outra não se manifestou publicamente.

A conhecida fragilidade de Renan diante do grupo é preocupante.

Leal é unanimidade, só que não dentro da seleção.

Alguns ‘senadores’ são ainda considerados imprescindíveis e a chegada de Leal vai representar problemas internos. O técnico não terá para onde fugir e vai precisar de muita habilidade para contornar a situação.

Como a falta de comando ficou evidenciada com a exigência dos ‘senadores’ para a convocação de Murilo, não seria surpresa se Renan recuasse novamente e deixasse Leal de fora.