O maior desafio da carreira de Kasiely. Será que ela segura a onda no Rio?

O maior desafio da carreira de Kasiely. Será que ela segura a onda no Rio?

Bruno Voloch

23 Outubro 2017 | 10h43

E agora?

Aparentemente nenhuma jogadora deverá ser contratada. Diante desse cenário, a lesão de Gabiru deixa o Rio, de Bernardinho, sem alternativas para a sequência da Superliga.

A tendência é que Kasiely seja promovida.

Será o maior desafio da carreira dela. Quando menos se espera surgem as oportunidades. É óbvio que Kasiely não esperava ganhar a chance da vida nessas circunstâncias.

O esporte é assim.

Ela foi contratada para no máximo compor o grupo. Era a quarta opção. Agora deverá ser titular.

Será uma espécie de vai ou racha.

Kasiely tem 22 anos e pouca experiência apesar de ter sido campeã mundial sub-23 em 2015.

Bernardinho terá que ter muita paciência com a jogadora. E terá. Se foi contratada é sinal de que tem alguma virtude, caso contrário não teria vindo.

Só que Kasiely não deve se iludir. A cobrança será infinitamente maior. Não dá para comparar Pinheiros, Rio do Sul e o ‘penetra’ Brasília com o Rio. A jogadora terá que mostrar muito mais do que apresentou nos ex-clubes.

Será que vinga?