Sesi, freguês de caderno, apanha de novo, se despede e bate recorde negativo. E aí, Rubinho? Qual a desculpa agora?

Sesi, freguês de caderno, apanha de novo, se despede e bate recorde negativo. E aí, Rubinho? Qual a desculpa agora?

Bruno Voloch

01 Outubro 2017 | 21h51

Alguém tinha dúvida?

Como o Sesi rasga e joga dinheiro fora. Gastou mundos e fundos, renovou o elenco, trocou a comissão técnica e nada. Nada mesmo.

Literalmente.

Nadou e morreu na praia em pleno campeonato paulista. Liderou a mentirosa fase de classificação e assim que cruzou com um adversário minimamente credenciado, com devido respeito que Taubaté mereça, caiu.

2 jogos a zero.

Perdeu fora e em casa por 3 a 1.

É o caso típico de gestão errada, precipitada e irresponsável. Sem cobrança.

Ganhar ou perder tanto faz.

Sempre foi assim por lá. Seja no feminino ou masculino.

Acontece que a coisa piorou.

Rubinho e sua trupe deixaram o Sesi pela primeira vez em 8 anos fora da decisão.

Qual a desculpa agora?

E quem paga essa conta?

Deve ter muita gente no Corinthians rindo à toa.