Thaísa e Eczacibasi deixam encaminhada rescisão amigável e jogadora deve ficar no BRASIL.

Thaísa e Eczacibasi deixam encaminhada rescisão amigável e jogadora deve ficar no BRASIL.

Bruno Voloch

09 Maio 2018 | 09h34

O blog ainda não crava, mas é praticamente certa a permanência de Thaísa no BRASIL por mais uma temporada.

Se ela continuará em Barueri é outra questão.

A jogadora está assinada e tem contrato com o Eczacibasi, da Turquia, até maio de 2019. A tendência, até pela boa recuperação da central da seleção brasileira, é que o compromisso seja rescindido de forma amigável sem prejuízo para nenhuma das partes envolvidas.

A norte-americana Rachel Adams também está saindo do Eczacibasi e voltando ao vôlei da Itália. Lauren Gibbemeyer foi contratada.

Thaísa, bicampeã olímpica, se lesionou em abril de 2017 e teve ruptura parcial do ligamento lateral do joelho esquerdo e de parte do menisco.

A ida para Barueri foi determinante e fundamental para a recuperação após a cirurgia. 10 meses depois da grave lesão, Thaísa retornou às quadras.

Hoje a jogadora treina com a seleção e está nos planos de José Roberto Guimarães para disputar o mundial do Japão em setembro.