Missão cumprida

Missão cumprida

SILVIA HERRERA

31 Outubro 2017 | 10h59

Confira o resultado do #Desafio5KoRetorno. Consegui correr uma corrida de rua de 5K inteira, sem paradas, no domingo 29 de outubro de 2017, após sete semanas de fisioterapia esportiva e duas semanas de musculação. #blogcorridaparatodos #corridaderua #fisioterapiaesportiva

Daniel Vieira/divulgação

Em março, quando meu joelho esquerdo deu um grito procurei três ortopedistas. Apesar de uma dor lancinante, o primeiro deles disse que não era nada, meu joelho era “chumbado” e teria que parar de correr e ponto. O segundo queria já marcar a cirurgia para dar uma “limpadinha no menisco medial”. O terceiro me explicou o que apontava a ressonância magnética e optava por um tratamento mais conservador, com fisioterapia e fortalecimento. Me explicou que os corredores de rua não aparentam a idade que têm, mas o corpo sente os efeitos da idade e que temos de observar isso sempre, com fortalecimento e tratamento preventivo.

No entanto, depois que tive alta no primeiro tiro o joelho voltou a doer. Como havia feito avaliação cinemática 2D com o dr Bernardo Sampaio, do Instituto Trata de Guarulhos, foi sinalizado que o fortalecimento ainda não estava bom e que a minha biomecânica da corrida teria que ser corrigida.

Sampaio me indicou os colegas do Instituto Trata Moema e fiz o tratamento de fisioterapia esportiva coordenado pelo dr Marcio Daniel Oliveira, com o apoio dos fisioterapeutas Edson Sampaio e Pedro Alvarenga. No começo foram aplicadas terapias para sanar a dor e fortalecimento estático (deitado com pesos e elásticos). A evolução foi gradual e na sétima semana já me sentia ótima, correndo 6K na esteira, executando funcionais e corrigindo o gesto da corrida.

Aprendi muito, não faltei e segui a risca as orientações. No domingo dia 29 de outubro fiquei um pouco com medo de me machucar, os primeiros dez minutos foram difíceis pelas ruas de Ribeirão Pires (SP), onde participei da 3ª Corrida Asas Para Isabela. Fiquei me vigiando para correr com uma pequena inclinação para frente, umbigo nas costas, utilizar a musculatura do glúteo, aterrissar com o calcanhar.

Estava tão travada pensando em tudo isso que um rapaz da organização me perguntou se estava tudo bem. Ai consegui relaxar um pouco e correr mais solto. Não parei nem nos postos de hidratação. Tinha um pelotão do exército com bandeira e tudo, fiquei alguns minutos atrás deles e cantando junto.

Reuni forças e no último km consegui encaixar o pace. Na chegada meu filho esperava por mim. Foi emocionante. Muito obrigada  a você leitor, por me incentivar nas redes sociais, aos fisioterapeutas, meus novos amigos, e a Bluefit Academia, pelo apoio. E a próxima 5K já está marcada, dia 11 de novembro no Anhembi corro a etapa blue da Samsung. #valeugente!!!

Confira abaixo o vídeo com a última semana:

 

Mais conteúdo sobre:

corrida de ruafisioterapia