Treino mental para correr melhor

Treino mental para correr melhor

SILVIA HERRERA

04 Maio 2017 | 10h28

Desde 1987 a cidade de Austin (EUA)  ferve durante a SXSW, quando se transforma na capital mundial da inovação em todas as áreas, inclusive no esporte, que teve este ano 53 conferência só desse tema. Uma delas foi a , “Brain Training: The Performance Enhancing Weapon?” (treino mental: uma arma para potencializar seu desempenho), na qual os médicos deram nove preciosas dicas para exercitar o cérebro e melhorar a performance em qualquer atividade esportiva, inclusive na corrida.

Participaram o fisioterapeuta e neurocientista David Putrino (professor assistente de Medicina e Reabilitação e diretor de Telemedicina e Reabilitação Virtual do Instituto de Pesquisas Médicas Burk (BMRI) do Weill Cornell Medical);o fisioterapeuta e neurocientista Dylan Edwards (diretor do Laboratório de Estimulação do Cérebro e Robótica do BMRI); Per Lundstam (gerente de Alta Performance da Red Bull, em Santa Monica) e a atleta Rebecca Rusch (mountain biker, conhecida como “rainha da dor” ela tem sete títulos mundiais; também é atleta de corrida de aventura e rafting).

A conversa girou em torno de como funciona o cérebro de um atleta de alta performance, sobre os milhões de dólares que grandes marcas, como a própria Red Bull, investem em pesquisas para sempre melhorar o desempenho dos atletas e como o cérebro atua na vitória e no fracasso, e as mais recentes conclusões.


Os atletas profissionais atribuem o fracasso ao cérebro, a mente pode jogar contra durante uma prova e por tudo a perder. Por conta disso, foi desenvolvido um treinamento mental para melhorar a performance dos atletas para que seu cérebro jogue sempre no seu time. Esse treinamento pode ser feito por qualquer pessoa. #corridaparatodos #botaocérebropracorrer

Vamos a ele:

  1. Escreva seus objetivos. Todo atleta aumenta em 39,5% sua chance de melhores resultados quando tem metas específicas. Escreva uma meta detalhada em um papel, por exemplo: quero correr a Maratona de Florianópolis, dia 27/08/2017 para 3:50. Cole este papel no espelho do seu banheiro, ou um local que você veja e leia todos os dias.
  2.  Aprenda a lidar com a frustração. Leia a respeito desse tema e converse a respeito com pessoas que já passaram pelo mesmo problema, no caso pode ser ter “quebrado” (parado no meio) numa maratona. Converse com outros corredores e com seu técnico, um livro bacana sobre superação é o “Unbroken” (Invencível) , que estou lendo neste momento.
  3. Mindfullness. Aprenda a meditar pensando no resultado que você quer atingir ou em coisas positivas, treina a longo prazo, 5 minutos por dia para começar. Também é bacana incluir yoga no seu treinamento, fale com seu técnico.
  4. Socializar.  Não vale nas redes sociais. Converse ao vivo em cores com pessoas que tiveram o resultado que você almeja, converse com maratonistas que já fizeram a prova que você quer fazer, assista palestra de atletas, conviva com pessoas positivas que tenham a sua mesma meta. E fuja das pessoas negativas.
  5. Se exercite. Siga direitinho a planilha e treinos, seja “caxias” mesmo. Se o foco for começar a fazer caminhadas se exercite no mínimo três vezes por semana, 30 minutos, e tenha isso como hábito.
  6. Perseverança. Saiba ser persistente por longo prazo, quanto mais for perseverante melhor será o resultado.
  7. Alimentação boa. Tenha em mente sempre uma alimentação com boa qualidade nutricional. Mesmo que você coma um pastel durante o dia tenha em mente que a equação é que 80% das suas refeições sejam saudáveis, faça esses cálculos mentalmente, use o bom senso.
  8. Visualização. Visualize você correndo a maratona de Florianópolis, por exemplo. Veja você na largada, a paisagem, o percurso e cruzando a linha de chegada. Não é fácil de se fazer isso, mas tente a longo prazo.
  9. Compartilhe. Divulgue este treinamento para seus amigos e os resultados que for obtendo. A regra hoje é compartilhar conteúdos relevantes.

Mais conteúdo sobre:

pesquisaneurociênciaperformance