O momento é da Espanha na Fórmula 1

liviooricchio

10 Maio 2007 | 14h30

10/V/2007
GP da Espanha
Livio Oricchio, de Barcelona

Início
Ao mesmo tempo em que os espanhóis informavam ontem, com orgulho, terem comercializado 141 mil ingressos para a corrida de domingo, no Circuito da Catalunha, Bernie Ecclestone e o presidente da Comunidade Autônoma de Valência, Francisco Camps, anunciaram a inclusão da cidade no calendário do Mundial, possivelmente como GP da Europa, já a partir de 2008.

Os espanhóis têm o bicampeão do mundo, Fernando Alonso, da McLaren, e organizarão duas provas do campeonato, agora a única nação. Ecclestone, porém, advertiu: “Está tudo certo, mas o contrato só será assinado depois da eleição local.” Dia 27 de maio Camps tem de ser reeleito, como parece será o caso, para o negócio sair. Apesar da existência do circuito Ricardo Tormo, a prova será realizada numa pista em fase final de estudos nas avenidas e ruas da área mais nobre de Valência, ao redor do porto e da “Ciudad de las Artes e las Ciencias.”A Comunidade pagará ao promotor da Fórmula 1 Euros 26 milhões por edição da corrida.

O momento é da Espanha na Fórmula 1. “Acho bom termos duas provas, mas se estão modificando os circuitos, como aqui em Barcelona, sob o argumento de elevar a segurança e no caso de Valência planejarem uma prova de rua, tendo já um autódromo a apenas 30 quilômetros de distância, não faz sentido”, afirmou ninguém menos de Fernando Alonso, o maior responsável pela Espanha viajar do anonimato ao estrelato na Fórmula 1.


Outra declaração surpreende também: “Antes de me tornar piloto de Fórmula 1, nunca havia estado num autódromo para assistir ao GP da Espanha, tampouco o havia assistido pela TV.” Mais tarde, lembrou que sequer as provas eram transmitidas ao vivo para seu país. “Hoje sei que tem gente que chega aqui sexta-feira e dorme onde dá, sábado para domingo sequer dorme e domingo faze uma festa. A Espanha é um lugar único para mim.” Os asturianos, da região do campeão, prometem tornar as arquibancadas amarelas e azuis, as cores da bandeira da região.

Também fora das pistas hoje, primeiro dia de treinos livres da quarta etapa da temporada, a partir das 5 horas (horário de Brasília), quem dará o espetáculo será Michael Schumacher. O alemão sete vezes campeão do mundo confirmou que vai acompanhar o trabalho de sua ex-equipe, a Ferrari, e depois atenderá à imprensa. Antes de viajar da Suíça para a Espanha, adiantou: “Não sinto falta da Fórmula 1. A decisão de parar de correr estava madura em mim.”

Os quatro pilotos que lutaram pelas vitórias nas três primeiras etapas do campeonato e lideram a competição estão apreensivos. “Nós evoluímos, temos certeza, mas não sei quanto a McLaren melhorou seu carro também”, disse Felipe Massa, da Ferrari. John Williams e Francesco Carboncini assinam o fantástico novo motorhome da Ferrari, de três andares, apresentado ontem, onde hoje Schumacher atenderá à imprensa.

A vitória no GP de Bahrein, dia 15, lançou Massa no grupo que lutará pelo título. Soma 17 pontos diante de 22 dos três primeiros, Alonso, seu companheiro, Lewis Hamilton, e Kimi Raikkonen, Ferrari. “Podemos dizer apenas sábado quem avançou mais, depois da primeira e segunda sessões classificatórias”, falou Rubens Barrichello, da Honda, otimista com o resultado dos treinos: “Acho que ganhamos três décimos.”

As 11 equipes que disputam a Fórmula 1 testaram semana passada nos mesmos 4.655 metros. A modificação do traçado foi bastante criticada por Alonso. “Transformaram as duas últimas curvas de seção de 250 km/h para 50 km/h”, explicou Rubens Barrichello. “O objetivo é permitir que dois carros percorram a curva bem próximos, entrem na reta um atrás do outro, o que facilitaria as ultrapassagens”, falou Alonso. “Mas vimos nos testes da semana passada que não dá para ficar bem perto do carro da frente e a chicane não facilitou as ultrapassagens.”

A TV Globo confirmou que transmitirá, ao vivo, apenas a primeira hora do GP da Espanha, por passar a gerar as imagens da missa rezada pelo Papa Bento XVI, em São Paulo. A sessão que definirá o grid, amanhã, começa às 9 horas e a largada, domingo, será às 9 horas também.

FIM