Rodrigo Sperafico pode fazer a festa dos paranaenses

liviooricchio

05 Maio 2007 | 16h20

05/V/07
Livio Oricchio, de Curitiba
Início

Os paranaenses podem quebrar hoje um tabu que os incomoda há 16 anos: desde 1991 um representante do estado não vence a corrida de Stock Car no Circuito Internacional de Curitiba. Rodrigo Sperafico, da equipe Action Power, piloto de Toledo, larga na pole position na 2ª etapa do campeonato, e Ricardo Zonta, de Curitiba, ainda piloto de testes da Renault na Fórmula 1, agora na L&M Racing, é o 3º no grid. Thiago Camilo, paulista da Vogel, sai em 2º.

“O último piloto do Paraná que ganhou aqui foi o Ângelo Giombelli, em 1991. Agora somos 2 dentre os 3 primeiros, as chances são bem maiores”, disse Rodrigo, cujo irmão gêmeo, Ricardo, da WA Mattheis, conseguiu apenas a 30ª colocação. Na realidade, há outro piloto do estado dentre os 10. É Tarso Marques, da Terra Avallone, 10º. Mas os 3 sabem que Thiago Camilo tem carro para vencê-los: “Fui o mais rápido nos 2 treinos livres de Interlagos (abertura da temporada) e ontem aqui também. Perdi a pole, hoje, por 36 milésimos de segundo.” Demonstrou não gostar do resultado.

O nível de competição pode também ser avaliado com o fato de os 4 primeiros no grid utilizarem carroçaria de 4 marcas distintas, pela ordem: Volkswagen Bora, Chevrolet Astra, Peugeot 306, e Mitsubishi Lancer. O 4º é o campeão de 2006, Cacá Bueno, da Eurofarma RC.

Zonta está curtindo sua separação compulsória da Fórmula 1. “Flavio Briatore (diretor da equipe) me disse que eu não posso treinar porque o regulamento mudou, há restrições severas no número de testes.” Se soubesse que seria assim, o italiano lhe contou, não o teria contratado. Nelsinho Piquet é o primeiro piloto de testes porque o time tem pretensões de levá-lo à condição de titular. “O Briatore me pediu para manter-me em atividade. Quase fui para a Cart, mas surgiu a oportunidade na Stock e estou me divertindo.”

Em Interlagos, não conseguiu classificar-se, mas ontem já ficou em 3º. “Que virada, não? Já me achei um pouco. Em São Paulo eu copiava o que o Pedro Gomes (companheiro de equipe) fazia por não conhecer nada.” Ainda lhe falta confiança, contudo, para exigir tudo do carro. “Não consigo arriscar mesmo para ganhar alguma coisa, falta aquele pelinho para você saber que não irá errar, mas é questão de tempo.”

O líder do campeonato, Ricardo Maurício, da Medley A Mattheis, 25 pontos, obteve o 7º tempo, mas não estava triste. Seus principais adversários não foram bem. O vice-líder, Felipe Maluhy, da Terra Avallone, 20, vai largar apenas na 29ª colocação, e o 3º, Daniel Serra, da Red Bull, 16, em 13º. “Vim para o Paraná com o objetivo de sair daqui em primeiro ainda. Vi que minhas chances cresceram”, disse Maurício. A Rede Globo transmite a 2ª etapa da Stock Car ao vivo, a partir das 11 horas. A corrida tem 50 minutos.
FIM