Schumacher: "Esse é o momento. Vou parar."

liviooricchio

10 Setembro 2006 | 15h59

Não poderia ser de forma mais apropriada. Em meio a uma festa carregada de emoção para celebrar a vitória da Ferrari, em plena Monza, e diante da perspectiva real de conquistar outro título, o oitavo, Michael Schumacher anunciou, hoje, qual será o seu futuro: “Esse é o momento. Vou parar.” Em seguida ao banho de champanhe que lavou a alma dos milhares de tifosi amontoados sob o pódio, Schumacher retirou-se para conversar com a impresa e, emocionado, falou:
“Hoje é um dia muito especial. Terminá-lo dessa maneira, tendo em mente também o campeonato e o que está por vir ainda… Houve muita discussão e por bom tempo a respeito do que faria da vida e penso que todos os fãs, pessoas interessas em automobilismo, têm o direito de saber o que irá acontecer. Desculpe se me estendi mais do que vocês desejavam, mas para uma definição dessas é preciso esperar o instante correto e sinto que esse é o momento certo. Para apressar um pouco, essa foi a minha última corrida em Monza. No fim desta temporada, decidi, junto de nossa equipe, que irei me retirar das pistas.
Vivi tempos realmente excepcionais nesses 30 anos de automobilismo. Amei realmente cada experiência, boa ou má, o que faz a vida ser tão especial. Devo, em particular, agradecer minha família, começando, óbvio, pelo meu pai, minha falecida mãe, e, sem dúvida, minha esposa e filhos que, em todos os momentos, me apoiaram. Sem essa força, sobreviver neste negócio, neste esporte e num elevado nível de performance penso que seria impossível. Não tenho como agradecer na extensão que precisaria, não só minha família, mas meus companheiros de Benetton e, claro, as pessoas da Ferrari, onde fiz tantos amigos.
Há tantas pessoas tão maravilhosas nessa equipe que decidir não trabalhar mais com eles, não importa seu nível na organização, foi muito difícil. São, de verdade, incríveis, mas eu tinha de me definir. Seria justo comunicar-lhes naquele momento porque Felipe tinha a chance de continuar no nosso time. O considero uma grande pessoa. Tem realizado um belo trabalho, sempre nos apioando, um ótimo companheiro de equipe. Era o instante de ele decidir seu futuro. Não havia como eu prorrogar minha definição, foi a conclusão que cheguei.
Para me substituir, a equipe anunciará em breve um piloto, mas estou feliz porque sempre ouvi dizer que ele seria a pessoa. Agora pretendo apenas me concentrar nas três etapas finais para concluí-las em grande estilo também e, espero, conquistado o campeonato. Demos, hoje, um grande passo nesse sentido e, de fato, sinto-me ansioso para a sequência da disputa. Gostaria de agradecer quem, de alguma forma, cruzou o meu caminho na Fórmula 1 ou mesmo sempre me apoiou. Sei que são muitos. Muito obrigado. O que farei da vida? Parte de minhas atividades será manter-me relacionado de alguma forma com a Ferrari. Falaremos disso no fim do ano. Meu objetivo, agora, é pensar nas três provas finais do Mundial.”