As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kaká e o domingo de futebol nos Estados Unidos

Estreia do craque brasileiro na Major League Soccer vai acontecer no próximo domingo na Flórida, com casa cheia, indicando que o futebol vai deslanchar de vez por lá.

Maurício Capela

03 Março 2015 | 15h20

Se há um dia da semana em que o Futebol pode chamar de “seu”, esse dia é o Domingo. Fato! Até porque Domingo e Futebol sempre se entenderam e quase nunca brigaram. Desde que a bola começou a ser chutada, ambos se reuniram e fizeram um acordo. E nele constava o seguinte, os grandes jogos seriam reservados ao Domingo e ponto final.

Não é que o acordo ganhou o mundo? Até mesmo quem ainda começa a dar os primeiros passos nesse negócio chamado futebol encampou a ideia e já na estreia de uma das temporadas mais esperadas da Major League Soccer, a liga de futebol dos Estados Unidos e do Canadá, o próximo domingo já pode ser encarado como especial.

Será especial, porque o badalado jogador brasileiro Kaká vai vestir pela primeira vez a camisa do Orlando City, time de futebol do Estado da Flórida, em um jogo oficial da MLS. E a estreia já pode ser considerada um sucesso. Todos os 60 mil ingressos que foram colocados à venda, foram devidamente comercializados.

Independentemente do nível do espetáculo, o fato é que a temporada 2015 da Liga dos Estados Unidos e do Canadá promete sacramentar para todo o sempre o “soccer”, principalmente entre os norte-americanos.

A fórmula de disputa, que combina pontos corridos e mata-mata, aproveitou, por exemplo, a base da liga de basquete dos Estados Unidos e dividiu as equipes em conferências, a leste e a oeste. A partir daí, jogam entre si, classificando-se os dois melhores de cada lado para a realização de semifinais.

Mas a cereja do bolo, além do título, claro, está na possibilidade de colocar os pés na Liga dos Campeões da Concacaf, cujo campeão desembarca no Mundial de Clubes da Fifa, em condições de competir pelo caneco.

Poderá ser essa a grande arrancada para a MLS, uma vez que recursos financeiros existem, organização e profissionalização também. Basta agora que o campeonato se mostre competitivo suficiente para que os times da liga norte-americana e canadense reúnam condições técnicas para brigar pela vaga no Mundial da Fifa, que antes parecia cativa dos times mexicanos.

Kaká, sem dúvida, faz parte dessa engenharia, dessa inicial mudança de cenário, que deverá ser lenta e gradual, mas consistente. E ele não estará só. O New York, adversário deste domingo, terá o atacante espanhol David Villa e o consagrado inglês Frank Lampard para a temporada deste ano. O outro time de Nova York, o New York Red Bulls ainda terá o carrasco brasileiro, o francês Thierry Henry, além do goleador australiano Tim Cahill.

Em outras palavras, o que faltava à liga, que já é bem organizada e que atrai bom público, era justamente a presença de ídolos. E eles estão indo descobrir a América, lentamente mas estão se mandando para lá. Ou seja, em pouco tempo, o “Sunday” de lá também vai fazer inveja ao “Domingo” de cá, quando o assunto for futebol ou “soccer”.