As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Faltou fome ao Santos

Time da Vila deveria ter se esforçado mais para vencer, mantendo a distância em relação ao líder. O empate não foi bom resultado.

Luiz Fernando Zanin Oricchio

12 Outubro 2017 | 22h31

 

Falta fome a quem está perseguindo o Corinthians.

Tome, por exemplo, o jogo entre Ponte Preta e Santos. Não era para o Santos dar tudo, entrar como numa final de campeonato para, pelo menos, manter a distância de 8 pontos em relação ao líder?

Mas não. Jogou para o gasto. Empatou e viu o Corinthians abrir de novo dez pontos à frente do segundo colocado, o próprio Santos.


Claro, não estou dizendo que o jogo era moleza, mesmo porque a Macaca jogava em casa, precisava do resultado para fugir à zona perigosa e é contumaz asa negra do Peixe. Ou seja, o Santos podia ter até perdido que não seria um resultado absurdo.

Acontece que, pelo andar do jogo, a vitória seria possível caso houvesse mais um pouco de ousadia. Estava empatando, jogava melhor que o adversário, era hora de partir para o tudo ou nada. Não o fez. Empatou, mesmo com um jogador a mais nos últimos dez minutos. E daí? Poderia ter perdido a partida num contra-ataque, claro, e isso não alteraria grande coisa. O fato é não jogou para ganhar. Não correu riscos e não mereceu vencer.

O Corinthians comemora essa timidez.

Problemas técnicos todo time brasileiro tem. O que não podem é se dar ao luxo de jogar de maneira confortável, sem almejar nada além do que enxerga no futuro imediato.

E se o Corinthians começar a tropeçar de novo nas próximas rodadas? Não terá sido um desperdício esses dois pontos perdidos, que estavam tão à mão do Santos?