As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Thiago Silva e David Luiz não choram mais

Zagueiros da seleção brasileira dominam o jogo contra o Chelsea e levam o PSG às quartas de final da Liga dos Campeões da Europa

Luiz Prosperi

11 Março 2015 | 19h38

Thiago Silva e David Luiz, execrados pela torcida brasileira na Copa do Mundo, escreveram a história da classificação do Paris Saint-Germain às quartas de final da Liga dos Campeões da Europa diante do Chelsea, nesta quarta-feira em Londres. Os dois zagueiros fizeram os gols, de cabeça, do empate por 2 a 2 no Stamford Bridge.

Mostraram que o futebol brasileiro, antes um fornecedor de atacantes fenomenais, hoje é um produtor de zagueiros de alto nível. Uma reviravolta.

E quando zagueiro se mete a ser protagonista, a dose de emoção é dupla. O jogo estava nas mãos do Chelsea que vencia por 1 a 0, a partir dos 35 minutos do segundo tempo, até que apareceu David Luiz para empatar no finzinho da partida. Gol que levou a decisão para prorrogação.

Aí foi a vez de Thiago Silva entrar em ação. Fez um pênalti bobo, infantil diriam os mais velhos, que praticamente daria a vitória ao Chelsea. Hazard converteu, aos 9 do primeiro tempo dos 30 minutos suplementares.

Thiago Silva seria o vilão completo se não fosse por um detalhe: aos 10 do segundo tempo da prorrogação ele fez de cabeça um golaço dando o empate ao PSG e, mais que isso, a classificação às quartas de final. Perfeito.

Ao apito final, durante a comoção entre os jogadores do time francês na celebração da conquista, não foi possível ver lágrimas nos olhos de Thiago Silva e David Luiz, os chorões da Copa. Ponto para os dois.

Para quem gosta de comparar, um lembrete. Chelsea e Paris Saint-Germain juntos alcançam o valor de 854,4 milhões de euros, cerca de R$ 2,5 bilhões. Os jogadores do clube inglês estão avaliados em R$ 483,5 milhões de euros (R$ 1,4 bilhão). E os do clube francês atingem 370,9 milhões de euros (R$1,1 bilhão).

O Chelsea é propriedade do bilionário russo Ramon Abramovich. E o PSG pertence ao mecenas Nasser Al-Khelaifi, da família Al-Thani, uma das mais ricas do Catar. Os dois são amantes do futebol e não costumam contar dinheiro na hora de investir nos seus clubes.

Diante dessa tamanha fortuna do magnata do Catar, Thiago Silva e David Luiz devem embolsar uma boa grana a título de premiação. Cada jogador do PSG pode acumular mais de 500 mil euros de bônus se o time levantar a taça.

Thiago e David não choram mais.