Mundial de Motovelocidade: 12/11 é um dia histórico para o motociclismo brasileiro

Mundial de Motovelocidade: 12/11 é um dia histórico para o motociclismo brasileiro

Ricardo Ribeiro

12 Novembro 2017 | 13h53

E aí, tudo bem?

Ontem escrevi sobre 12 de novembro, o dia que entrou para a história do motociclismo brasileiro! A data marca a volta do país ao Campeonato Mundial de Motovelocidade.

Eric Granado, um paulista de 21 anos e que disputa dois campeonatos simultaneamente, o Superbike Brasil, pela equipe oficial Honda Racing Brasil, e o Campeonato Europeu, correu neste domingo a última etapa do Mundial, em Valência, na Espanha, na categoria Moto 2.

Brasil está de volta ao Mundial


Não, ele não ganhou a corrida. Não, ele não ultrapassou 200 pilotos na primeira curva. O dia é histórico porque o Brasil simplesmente voltou para a principal competição do planeta sobre duas rodas. Uma curiosidade: o Mundial tem alcance global e transmissão de TV para mais de 200 países.

Eric já correu o Mundial, tanto na Moto2 como na Moto3. Em 2014, na Austrália, sofreu uma queda e teve lesões na coluna, o que impediu a volta dele à competição. Quando retornou às pistas, preferiu fazer um downgrade para o Europeu.

De lá pra cá, Granado evoluiu, em todos os sentidos. E, como diz, está mais “maduro, mais preparado”. Ele não entrou na pista de Valência hoje com grandes pretensões e queria apenas fazer a prova para “aprender mais”.

O final de semana de Granado

Ele estava muito bem nos treinos classificatórios de sábado, mas caiu quando aparecia em 13o. na classificação. Vale lembrar que a Moto2 tem mais de 30 pilotos que correram a temporada inteira. Eric, não… Acabou ficando em 18o. no grid. Um ótimo resultado!

Antes da largada, em entrevista ao vivo ao canal SporTV 2, que transmitia a competição ao vivo, Eric disse que só pretendia “ultrapassar e evitar ser ultrapassado”. Eric fez uma boa corrida e conseguiu terminar em 17o.

Na aviação após a corrida, Eric chegou a dizer que era um “novato” e um “estreante”. Sim, pode-se dizer que sim devido aos adversários, à própria competição em si e mais aquele monte de dificuldades naturais do retorno à uma modalidade depois de três anos. Mas de “novato e estreante”, Eric não tem nada (veja abaixo).

“Foi um fim de semana positivo. Trabalhamos bastante na moto desde o começo, pois as regulagens são diferentes das que estamos acostumados no Europeu e no Superbike. Foi uma corrida longa (quase 45 minutos), que exige muito fisicamente, com moto pesada, sempre andando no limite. Dentro do que tínhamos, conseguimos ótimo resultado, estou satisfeito. Gostaria de agradecer patrocinadores e fãs, pois sem eles nada disso seria possível”, avaliou Granado.

Na carenagem da moto homenageou o País, com a bandeira do Brasil, e as pessoas que participaram da campanha para ele correr em valência e tiveram sua foto estampada na moto.

O piloto paulista embarcará para o Brasil, onde participará de um evento com a imprensa na terça-feira durante o Salão Duas Rodas. Em seguida volta para a Espanha, onde fará testes com a nova equipe em 2018, a Forward Racing, e vai correr a última etapa do Europeu, dia 19. Ele é o líder da competição.

Depois, pegará outra avião na Espanha e desembarca no Brasil. Dia 26 de novembro vai enfrentar Alex Barros (sim, ele mesmo) na final do Superbike em Interlagos. Eric também lidera e pode levar outro título para casa.

Não é para qualquer um disputar, e liderar, dois campeonatos simultaneamente. E ainda mais correr uma etapa do Mundial no meio de tudo isso.

Em 2018 vai ficar mais emocionante assistir as corridas do Mundial de Motovelocidade pelo canal SporTV, com meus amigos Fausto Macieira e Guto Nejaim.

Títulos e conquistas de Eric Granado

2003 – 1ª posição – Campeão no Campeonato Paulista de Motovelocidade (começa a carreira de piloto no Brasil com uma moto Zanella 50cc aos 6 anos de idade)

2003 – Participação no Campeonato Schincariol

2004 – 5ª posição Campeonato Paulista na cat. 50cc

2004 – 1º posição – Campeão Taça verão Nova Schin na cat. 50cc

2004 – 2ª posição Campeonato Schincariol na cat. 50cc

2004 – 24ª posição no II Mini GP World Festival – Metrakit – 70cc

2005 – 4ª posição no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade – 125cc

2005 – 22ª posição no III Mini GP World Festival – Metrakit – 70cc

2005 – Participação no Campeonato Paranaense na cat. 125cc

2006 – 7ª posição no Campeonato Cuna de Campeones Bancaja na cat. 70cc

2006 – 4ª posição no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade na cat. 125cc

2006 – 13ª posição no IV Mini GP World Festival – Metrakit – Cat. A

2006 – Participação no Campeonato Espanhol – CEV Buckler na cat. 70cc

2007 – 1 ª posição – Campeão do V Mini GP World Festival – Metrakit – 70cc

2007 – 4ª posição no Campeonato Cuna de Campeones Bancaja na cat. 70cc

2007 – Participação no Campeonato Valenciano na cat. 70cc

2007 – Participação no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade na cat. 250cc

2007 – Participação no Campeonato Paranaense na cat. 125cc

2008 – 1ª posição – Campeão no Campeonato Cuna de Campeones Bancaja na cat. 80cc XL

2008 – 1ª posição – Campeão no Campeonato Valenciano na cat. 80cc

2008 – Participação no Campeonato Paranaense na cat. 135/250cc

2009 – 1ª posição – Campeão no Campeonato Cuna de Campeones Bancaja na cat. Pre GP EVO 125cc

2009 – 1ª posição – Vice-campeão no Campeonato Valenciano na cat. Pre GP 125cc

2010 – 5ª posição Campeonato Cuna de Campeones Bancaja na cat. EVO 125cc

2010 – 3ª posição Campeonato Motodes na cat. Pre GP 125cc

2010 – Participação no Campeonato Espanhol – CEV Buckler na cat. 125cc

2010 – Participação no Campeonato Paulista na cat. 600cc

2011 – 5ª posição no Campeonato Espanhol Velocidade – CEV Buckler na cat. GP 125cc

2011 – 5ª posição no Campeonato TNT Superbike Series

2011 – Participação no Campeonato Europeu Campionship na cat. 125cc – Moto 3

2012 – 32ª posição no Campeonato Espanhol – CEV Buckler na cat. 125cc

2012 – 33ª posição – Começa no Campeonato Mundial de Motovelocidade na cat. Moto 2

2013 – 25ª posição – Participante do Campeonato Mundial de Motovelocidade na cat. Moto 3 na equipe MAPFRE ASPAR TEAM

2014 – 31ª posição – Participante do Campeonato Mundial de Motovelocidade na cat. Moto 3 na equipe TEAM CALVO

2015 – 6º posição do Campeonato FIM EUROPEAN CHAMPIONSHIP na cat. Moto 2

2015 – 1ª posição – Campeão invicto no Campeonato Brasileiro de Motovelocidade – 600cc

2016 – 4ª posição no Campeonato FIM EUROPEAN CHAMPIONSHIP na cat. Moto 2 – Equipe PROMORACING

2016 – 1ª posição – Campeão SUPERBIKE BRASIL cat. SuperSport Pro na cat. 600cc – Equipe GST HONDA MOBIL SUPER MOTO