1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Felipão e Parreira passam a mão na cabeça de Oscar. Ele merece esse respeito

Robson Morelli

09 junho 2014 | 10:31

Felipão e Parreira têm se aproximado de Oscar para dar ao meia a segurança que ele precisa a fim de estrear bem na Copa do Mundo. Dos jogadores titulares, Oscar é o mais cobrado pela torcida e crítica, muito menos pelo que faz em campo e muito mais pelo que seu reserva Willian tem jogado. Felipão é assim: ele abraça seus jogadores e vai com eles até ser convencido de que deve mesmo mudar. Essa possibilidade é discutida na seleção com Parreira e Murtosa.

Felipão também não é de defender jogador que não mereça. E sua defesa a Oscar tem sido veemente.

Até agora, o trio da comissão não se convenceu de que Oscar deva ficar no banco. Faltam três dias para o jogo do Brasil contra a Croácia. Acredito que somente uma contusão pode mudar o time de Felipão para a primeira partida na Copa. E contusões podem acontecer, embora a comissão técnica também tenha feito os trabalhos necessários para evitar qualquer risco. Contra a Sérvia, por exemplo, Felipão sacou Neymar para que o jogador não se desgastasse ou sofresse alguma pegada mais séria no Morumbi.

Felipão olha tudo durante os treinos, até dois toques. Oscar é peça fundamental de seu esquema, sobretudo do posicionamento da seleção, que ele não quer que mude por nada nesse mundo. Nem se tomar gol. Por isso que tirá-lo do time seria um equívoco. Como não é bobo nem nada, Felipão vai enchendo Willian de elogios. Sabe que o garoto também do Chelsea poderá ajudar muito o Brasil, mas sempre no segundo tempo. E vai tratando Oscar como o respeito que ele merece.