Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Copa já deixa saudade para moradores do entorno da Fonte Nova

Esportes

As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Esportes

Copa já deixa saudade para moradores do entorno da Fonte Nova

Soteropolitanos deram suas impressões do Mundial

Seleção Universitária

05 Julho 2014 | 18h02

Soteropolitanos deram suas impressões do Mundial

 

Luiz Fernando Teixeira – especial para O Estado de S. Paulo

SALVADOR – Os moradores do entorno da Arena Fonte Nova sentirão falta da agitação da Copa do Mundo. Após seis partidas da competição envolvendo 11 países, até mesmo quem não era a favor do Mundial no Brasil acabou se rendendo aos encantos do torneio.

É o caso do segurança Adroaldo Ferreira. Ele disse que era a contra a Copa por achar que muito dinheiro foi sonegado durante a construção dos estádios, mas disse os turistas não tem nada a ver com isso. “Foi bonito ver a festa deles, principalmente dos iranianos. Eu achava que eles eram todos uns fanáticos, mas eles são muito normais e alegres”, disse.

A autônoma Jamile Gonçalves disse que gostou da sensação de segurança da Copa. “Havia muitos policiais na rua e os turistas são muito curiosos. O clima foi muito bom nesse tempo”, afirmou. De acordo com ela, os ‘feriados’ em dias de jogos em Salvador também foram muito bem-vindos, pois as pessoas tinham mais tempo para ver as partidas com calma.

Os irmãos Juan e Ramon Soares disseram que a Copa foi boa para praticar o inglês deles. “Deu vontade de viajar para conhecer os países, principalmente a Alemanha. Pelo menos, o pessoal que veio pra cá era bem educado e simpático”, contou Ramon.

O vendedor Luiz Santos fez um ranking dos turistas que mais gostou de conhecer. “Em primeiro lugar, os holandeses e iranianos, que foram os mais alegres. Em último, os franceses, porque eles não cheiram bem”, disse rindo.

O estudante Felipe da Cruz falou estar ansioso pelos Jogos Olímpicos de 2016, que terá as partidas de futebol disputadas em Salvador. Ele acredita que não será a mesma experiência da Copa, mas é um bom paliativo. “Acho que a proxima Copa aqui vai demorar uns 40 anos. Espero que tenha mesmo. Gostei muito dessa”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato