COM NOVA ZELÂNDIA COMO PARCEIRA, RUGBY BRASILEIRO FOCA NA FORMAÇÃO DE TREINADORES

brunoromano

29 Agosto 2012 | 14h34

O Brasil nunca teve tantos times de rugby. O esporte da bola oval se espalhou por todas as regiões do país e o número de equipes já beira os 300. No entanto, segundo dados da CBRu, pouco mais de 60 clubes tem uma estrutura maior, com categorias de base, comissão técnica e profissionais trabalhado na formação e preparação de atletas. O “boom” do rugby no Brasil é motivador. Mas fica no ar uma questão: será que temos pessoas capacitadas para ensinar um esporte de tanto contato?

O surgimento dos novos times não foge muito ao padrão – seja no Amazonas ou no sul do país. Um grupo de amigos, interessados pelo jogo, acaba se reunindo e encontra alguém com mais experiência para ensinar de fato como se jogar. Ou então, um ex-jogador passa a juntar forças para criar uma mínima estrutura e começa a dar treinos. Geralmente um estrangeiro, que não se conforma com tanto potencial para o rugby desperdiçado em uma cidade (muitas vezes até uma capital) que ainda não tinha um time.

Mas, tão preocupante como a parte física, tática e técnica é a bagagem “cultural” de rugby que o novo treinador tem de passar. A força do esporte em todo mundo vem justamente do espírito esportivo, da lealdade ao time, ao adversário e às regras do jogo, que devem aparecem desde o início da vida um atleta de rugby.


Esse é um dos pontos críticos da questão: em um país ainda pouco acostumado com a modalidade, um ótimo professor de educação física não encontra em sua formação a capacidade de gerir uma equipe. Da mesma forma que um ex-atleta – por melhor que seja sua didática – sempre correrá o risco de pecar na preparação física e na conduta dos treinos, capacidades bem trabalhadas por quem estudou o assunto.

A notícia boa é que o International Rugby Board (IRB) sempre se preocupou com o assunto, principalmente pensando em países em que o rugby está se desenvolvendo. O Brasil tem realizado cursos IRB nos últimos anos, mas a demanda cresceu enormemente. Melhor estruturada, a CBRu consegue agora levar mais cursos para todo o Brasil.

Ainda não é a solução para se chegar a uma Copa do Mundo e brigar com as melhores seleções. Mas com certeza é uma oportunidade para crianças e adultos aprenderem a jogar com segurança. Um treino bem planejado e uma comissão técnica que se preocupe com os jogadores geram fidelidade ao jogo. O ciclo começa a funcionar, o aprendizado fica mais rápido e a motivação de quem já está encantado com o rugby aumenta ainda mais.

Pensando no alto rendimento, um novo projeto deve começar ainda neste ano. O Programa Brasileiro de Formação de Técnicos visa encontrar 10 treinadores, ligados a diferentes clubes, que trabalhem em conjunto com as novas comissões técnicas das seleções de rugby XV e 7’s. A CBRu já está trabalhando com a Canterbury Rugby Union (CRU) e o Crusaders, verdadeiras instituições do rugby neozelandês e sinônimo de formação de qualidade.

O contrato, que começou este ano e vai até 2017, é totalmente voltado para o alto rendimento. No novo programa, os treinadores selecionados passarão por ciclos de 12 meses, acompanhando praticamente todos os trabalhos da comissão no CT da CBRu, que reúne as atividades das seleções masculinas e femininas, de todas as categorias, em São José dos Campos (SP).

Para o cenário de clubes, o ano de 2012 ainda terá bastantes atividades. Foram realizados 10 cursos de Coaching IRB Nível 1 e um curso Nível 2. Além disso, outros cinco cursos IRB Nível 1 e um Nível 2, com foco em Sevens, estão programados. O trabalho se completa com os cursos de arbitragem Nível 1 em seis estados (SP, RJ, MG, SC, PE e PR) e Nível 2 no Rio Grande do Sul e em São Paulo.

Confira o calendário para o segundo semestre, disponível também em BRASILRUGBY.COM.BR

CURSO / DATA / LOCAL

ARBITRAGEM I (18-19/08) – Belo Horizonte, MG

SEVEN I (18-19/08) – Niterói, RJ

SEVEN I (20 e 27/08) – São Paulo, SP

ARBITRAGEM I (25-26/08) – Caicó, RN

COACHING I (25-26/08) – Brasília, DF

ARBITRAGEM I (15-16/09) – Porto Alegre, RS

SEVEN I (15-16/09) – Porto Alegre, RS

Força & Condicionamento (15-16/09) – Porto Alegre, RS

SEVEN I (22-23/09) – Florianópolis, SC

SEVEN I (03/09) – São Paulo, SP

COACHING I (06-07/10) – Balneário Camboriú, SC

COACHING II (20-21/10) – São Paulo, SP

Força & Condicionamento (20-21/10) – São Paulo, SP

COACHING I (27-28/10) – Rio de Janeiro, RJ

Mais informações sobre os cursos com Flávio Santos (flavio.santos@brasilrugby.com.br).
Fonte: CBRu
Fotos: ZDL/Divulgação