Alessandra é a dúvida do Brasil para disputa do bronze

Ainda abalada depois da derrota para a Austrália na semifinal de quinta-feira, a seleção brasileira feminina de basquete voltou aos treinos nesta sexta, já pensando na disputa da medalha de bronze do Mundial, que acontece no sábado, contra os Estados Unidos, a partir das 9h30, no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Algumas jogadoras do Brasil estão com problemas médicos, mas o caso mais sério é da pivô Alessandra, que pode ser desfalque. Alessandra sofreu uma tendinite traumática no bíceps esquerdo durante o jogo com a Austrália. Ela está tomando antiinflamatório e fazendo fisioterapia, mas ainda tem muita dor. Por isso, não treinou nesta sexta-feira e corre o risco de ficar de fora da disputa do bronze. Além de Alessandra, a ala Janeth ainda sofre dores no tornozelo direito e a pivô Erika está com as unhas dos dois dedões do pé soltas. Mas o médico da seleção, Carlos Eduardo Marques, acredita que as duas últimas terão condições de jogar neste sábado. Enquanto isso, o técnico Antônio Carlos Barbosa trabalha o grupo para o jogo com os Estados Unidos. "Não é fácil enfrentar uma equipe forte como a delas. Não podemos cair na correria norte-americana", avisou. Mas, independente do resultado da disputa do bronze, Barbosa já fez um balanço positivo da campanha brasileira no Mundial. "Estar entre as 4 melhores já é uma coisa boa para o Brasil", afirmou o treinador. "Trouxemos o público do basquete de volta aos ginásios." Vale o título Neste sábado, também no Ginásio do Ibirapuera, acontece a grande final do Mundial Feminino de Basquete. A partir das 14 horas, Austrália e Rússia entram em quadra para ver quem será a campeã.

Agencia Estado,

22 Setembro 2006 | 15h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.