Ken Blaze/USA/Today Sports/Reuters
Ken Blaze/USA/Today Sports/Reuters

Após ficar fora dos playoffs da NBA, Detroit Pistons demite técnico

Treinador Stan Van Gundy, que acumulava a função de presidente, foi demitido nesta segunda-feira

Estadão Conteúdo

07 Maio 2018 | 16h26

O Detroit Pistons anunciou nesta segunda-feira a demissão do técnico Stan Van Gundy, que acumulava também a função de presidente de operações de basquete. O profissional de 58 anos estava na franquia há quatro anos e falhou na tentativa de levá-la aos playoffs na última edição da NBA, terminando apenas na nona colocação, com 39 vitórias e 43 derrotas.

+ Audiência do NBB cresce 29% na web

+ Rockets atropela Utah e abre vantagem na série

"Nós decidimos que esta mudança é necessária para levar nossa organização para o próximo nível. Esta foi uma decisão difícil e não chegamos a ela tranquilamente. Eu sou grato ao Stan por tudo que ele fez para o Pistons e o basquete de Detroit. Ele reconstruiu a cultura do nosso basquete, reinstalou uma atitude de vitória e ética de trabalho e nos levou aos playoffs há dois anos", declarou o dono da franquia, Tom Gores.

O Pistons foi o terceiro time treinado por Van Gundy na NBA. Ele iniciou a carreira no Miami Heat, que comandou de 2003 a 2005, passou pelo Orlando Magic, que levou à final da liga na temporada 2008/2009, na qual perdeu para o Los Angeles Lakers, e chegou a Detroit em 2014.

No time de Michigan, conseguiu apenas uma classificação aos playoffs, na temporada 2015/2016, caindo logo na primeira rodada para o Cleveland Cavaliers. Na última edição do campeonato, viu a franquia se arriscar para trazer o astro Blake Griffin, mas, mesmo assim, não teve êxito na tentativa de levá-la novamente à pós-temporada.

"Nas últimas duas temporadas, nosso time não progrediu. Então, decidimos que uma mudança era necessária para recuperar nosso momento. Stan é um competidor e queria terminar o trabalho. Ele reconstruiu um elenco que acreditamos que possa ser muito competitivo no Leste. Sei que ele está decepcionado, que ele gosta muito dos jogadores, da comissão, da organização e da cidade", comentou Gores.

O Pistons informou que a partir de agora os cargos de técnico e presidente de operações de basquete serão ocupados por pessoas diferentes. Para o lugar de treinador, a diretoria estaria interessada no ex-jogador Brent Barry, que passou por times como Los Angeles Clippers, Chicago Bulls, San Antonio Spurs e Houston Rockets, e que no momento atua como comentarista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.