Vivienne Balla/Nike/Handout via REUTERS
Vivienne Balla/Nike/Handout via REUTERS

Após veto de 20 anos, Fiba libera uso de véu islâmico em partidas de basquete

Regra também é válida para turbantes e quipás

Estadão Conteúdo

04 Maio 2017 | 13h42

A Federação Internacional de Basquete (Fiba) aprovou nesta quinta-feira, depois de três anos de discussão, uma nova norma que permitirá a atletas da modalidade cobrirem a cabeça com véus islâmicos. O uso desse tipo de vestimenta era proibido há 20 anos.

Segundo a entidade, a regra vai entrar em vigor a partir do próximo dia 1º de outubro e abrange também o uso de turbantes e quipás. "Os códigos de vestimenta em alguns países eram incompatíveis com a norma anterior da Fiba", escreveu a entidade.

A norma detalha características necessárias para que o uso seja permitido. Os véus, turbantes ou quipás precisarão ser da cor preta, branca ou da cor dominante do uniforme da equipe. Além disso, os acessórios de todos os jogadores ou jogadoras do time terão de possuir cores iguais.

Não será permitido o uso quando os acessórios cobrirem por completo qualquer parte do rosto dos atletas, nem quando possuírem peças de abrir e fechar, que possam machucar ou que possam se soltar durante as partidas.

Após ser aprovada, a nova regra para utilização deste tipo de acessório na cabeça dos atletas seria ratificada justamente nesta quinta-feira em um congresso da Fiba em Hong Kong.

Mais conteúdo sobre:
basquete Fiba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.