Brasil vence Turquia no último segundo

O Brasil venceu a Turquia na última bola do jogo, com o cronômetro do ginásio Conseco Fieldhouse zerando. Das mãos de Marcelinho, o herói da partida, saiu o arremesso da linha dos três pontos para a seleção brasileira de basquete derrotar a vice-campeã européia Turquia por 88 a 86 (38 a 49), nesta sexta-feira, na segunda partida da fase de classificação do 14º Mundial de Indianápolis (EUA). Além dos três pontos da virada, Marcelinho, de 2,00 m e 27 anos, foi o cestinha do jogo, com 30 pontos. O cestinha e destaque da Turquia foi Hidayet Türkoglu, com 27 pontos. O Brasil assegurou presença na segunda fase do torneio e decide neste sábado o primeiro lugar do grupo B contra Porto Rico, às 22 horas (horário de Brasília), com transmissão da ESPN/Brasil, ao vivo. Os porto-riquenhos também derrotaram o Líbano, nesta sexta-feira, por 99 a 77 classificando-se para a próxima fase. Era difícil acreditar na vitória brasileira. Os turcos começaram arrasadores, acertando várias bolas de três pontos, e fizeram 32 a 21 no primeiro quarto. O segundo empatou por 17 a 17. No terceiro parecia que o Brasil reagiria - a diferença caiu para quatro pontos (47 a 51), mas voltou a aumentar. A Turquia conseguiu vantagem de 15 pontos, a maior do jogo, e nova vitória na parcial por 21 a 18. O Brasil reagiu apenas no último quarto e a cinco minutos do final começou a ameaçar o domínio turco. Mas é incrível observar que faltando 25 segundos para acabar ainda perdia por 82 a 86. Com o placar 85 a 86 para a Turquia e 15 segundos para o fim, o Brasil teve a posse de bola, que saiu do canto esquerdo da quadra das mãos de Marcelinho para o arremesso de três. Os brasileiros comemoraram abraçados a vitória e alguns jogadores deixaram a quadra chorando, como Rogério. "Buscamos um jogo praticamente perdido", afirmou. A imagem da torcida turca calada e boquiaberta com a mudança da história do jogo em um único segundo de 40 minutos refletiu o sentimento dos jogadores rivais diante da inesperada derrota. Estrela principal da partida, Marcelinho disse que estava preparado para fazer o último arremesso, pela esquerda. "Ainda bem que caiu", ressaltou. Ele observou que não foi o melhor jogo do Brasil do ponto de vista técnico, mas que esse tipo de vitória "dá moral ao grupo". Afirmou ainda que era o caso de comemorar "meia hora no vestiário com os companheiros e esquecer". O que importava, segundo Marcelinho, era pensar no confronto deste sábado contra Porto Rico. "Foi um momento de superação porque ficamos o tempo todo atrás. O importante foi acreditar até o fim. Mostramos que o Brasil tem coração. Mas para ficar em primeiro do grupo temos agora que ganhar de Porto Rico", afirmou o armador Demétrius. Outros jogos - A seleção espanhola derrotou a Iugoslávia por 71 a 69, resultado inesperado já que os iugoslavos eram considerados favoritos até mesmo para derrotar os Estados Unidos nesse Mundial. Angola também ganhou do Canadá, nesta sexta-feira, por 84 a 74.

Agencia Estado,

30 Agosto 2002 | 17h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.