Jim Young/Reuters
Jim Young/Reuters

CBB apresenta croata nesta terça-feira; Guidetti continua na comissão

Aleksandar Petrovic, irmão de lenda do basquete, assume seleção masculina

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2017 | 16h30

A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) apresenta nesta terça-feira, às 12h30, o croata Aleksandar Petrovic como novo técnico da seleção masculina. A primeira coletiva do treinador fecha o evento Pro Basket Day, que será promovido pela entidade em São Paulo.   

Os últimos detalhes do acordo foram costurados nesta segunda-feira. O técnico terá o desafio de comandar o Brasil nas Eliminatórias para o Mundial de 2019, na China, e preparar o time para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio.

A comissão técnica que comandou o Brasil na Copa América, com Cesar Guidetti e Bruno Savignani, está mantida. 

O croata terá pouco tempo para realizar sua primeira convocação. A seleção entra em quadra daqui um mês, no dia 24, contra o Chile, fora de casa, pelas eliminatórias para o Mundial. O segundo jogo no qualificatório será três dias depois, diante da Venezuela, no Brasil. 

Aleksandar, de 58 anos, é irmão de Drazen Petrovic, considerado o maior jogador da modalidade na Croácia e que faleceu em um acidente de carro em 1993. 

A carreira como treinador começou no Cibona, da Croácia, em 1991. Ele trabalhou também em equipes da Espanha, Itália e Polônia. Petrovic treinou a seleção da Croácia em três oportunidades, além da Bósnia e Herzegovina. 

O último trabalho foi justamente na seleção da Croácia, quando foi eliminado do EuroBasket pela Rússia, nas oitavas de final. Os russos terminaram em quarto. Nos Jogos do Rio, em 2016, caiu nas quartas, diante da Sérvia, depois de derrotar o Brasil  na fase de grupos.

O treinador é considerado linha-dura, até mais exigente do que Rubén Magnano. A postura do argentino nos treinos, em muitos momentos, sofreu criticas veladas dos atletas. Petrovic fala inglês, espanhol e italiano fluentemente.

Como atleta, Petrovic conquistou uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984, e dois nos Mundiais de 1982 e 1986. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.