Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Cirurgia no quadril tira Tiago Splitter dos Jogos Olímpicos do Rio

Basquete

Dale Zanine|USA Today

Esportes

Rio-2016

Cirurgia no quadril tira Tiago Splitter dos Jogos Olímpicos do Rio

Recuperação do pivô será de oito meses

0

O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2016 | 22h26

A seleção brasileira de basquete masculino terá um desfalque importante nos Jogos Olímpicos do Rio. Depois de um longo período com um incômodo por causa de dores no quadril, o pivô Tiago Splitter optou pelo procedimento cirúrgico nesta terça-feira e o tempo de recuperação será de oito meses. Com isso, o jogador está fora do restante da temporada da NBA e também da Olimpíada.  

Splitter vinha sentindo dores no local há um longo período e por isso não atua desde o dia 31 de janeiro. De lá para cá, buscou diversas formas de recuperação, mas o incômodo não cessou. Segundo a imprensa de Atlanta, o brasileiro ouviu dos médicos que só poderia optar por conviver com a dor ou passar por cirurgia. Ele escolheu a segunda alternativa, apesar de ficar fora da Rio-2016.

"Depois de ver múltiplos especialistas para determinar o melhor caminho para o tratamento de sua dor no lado direito do quadril, Tiago Splitter optou por fazer a cirurgia. Splitter perderá o restante da temporada 2015/2016, incluindo os playoffs da NBA", informou os Hawks, sem citar os Jogos Olímpicos.

A cirurgia no quadril de Splitter será realizada no dia 25 de fevereiro. O torneio masculino de basquete começa no dia 7 de agosto. Ou seja, o tempo entre o procedimento e o primeiro jogo do Brasil na Olimpíada é de apenas cinco meses e 13 dias, ou exatos 164 dias.

A contusão colocou fim a um ano que não foi nada fácil para Splitter na NBA. O pivô foi trocado do San Antonio Spurs para o Atlanta Hawks, encontrou dificuldade na adaptação e nunca se firmou como titular. Como resultado, alcançou suas piores marcas na liga desde a temporada de calouro: 5,6 pontos e 3,3 rebotes por partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.