Felipe vem para jogar com o pai Oscar

Oscar Schmidt deverá concretizar nos próximos dias um dos maiores sonhos de sua carreira. Vai fazer os quatro próximos jogos do Flamengo na Liga Nacional de Basquete, ao lado do filho Felipe, de 16 anos. O garoto desembarcou nesta quarta-feira no Rio, vindo dos Estados Unidos, especialmente para cumprir este que é um dos maiores desejos do pai. Oscar anunciou já há alguns meses que só iria encerrar a carreira depois de atuar ao lado do filho. Felipe mora e estuda na Flórida (EUA). Joga como ala-armador na equipe do High School Admiral Sarra Gut Academy, em S. Peterburg e foi inscrito na Liga Nacional a pedido de Oscar. O jovem jogador chegou pela manhã ao Rio e à noite já tem marcado um treino no ginásio Alvaro Pinheiro, do Tijuca Tênis Clube. Na quinta-feira joga contra o Mogi, em partida válida pela primeira rodada do returno da Liga Nacional. Felipe vai jogar ainda contra o Automóvel Clube, de Campos, dia 31; contra o Fluminense (3 de abril) e contra o Bauru (5/04). Ele vai usar a camisa número 41 - o número 14 invertido, tradicionalmente usado por Oscar. ?Estou muito feliz por estar aqui. Desde criança ouvi dizer que meu pai queria encerrar a carreira só depois de jogar comigo. Agora este dia está chegando?, disse ao desembarcar. Fazer os jogos ao lado do pai só foi possível depois que Felipe cumpriu duas exigências básicas. Completar 16 anos - idade mínima exigida para jogadores atuarem na Liga - e esperar que os jogos coincidissem com as suas férias escolares.

Agencia Estado,

27 Março 2002 | 10h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.