1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Fiba confirma retirada do Campeonato Europeu da Ucrânia

Agência Estado

13 Junho 2014 | 10h 24

A Federação Internacional de Basquete (Fiba) oficializou nesta sexta-feira que a Ucrânia perdeu o direito de sediar o Campeonato Europeu do ano que vem. Em meio às incertezas políticas sobre a anexação da Crimeia pela Rússia e graves problemas financeiros do país, a entidade achou melhor tirar a competição de lá e abrir espaço para que outros países lancem suas candidaturas.

"O comitê da Fiba Europa decidiu realocar o Europeu de 2015 da Ucrânia para um novo destino, durante encontro em Munique, nesta sexta. A decisão foi tomada depois de uma cuidadosa consideração nos contínuos problemas com a situação política e a segurança na Ucrânia, o que tornou o ambiente menos que favorável para um importante e exigente evento como esse", explicou a entidade em nota.

Apesar de a oficialização ter saído somente nesta sexta, a Ucrânia já havia anunciado em março que não teria condições de receber a competição. A França imediatamente se prontificou a se tornar a nova sede, mas a Fiba afirmou que só anunciará quem vai sediar o torneio em setembro.

"Um novo processo de candidaturas agora será aberto a todas as federações europeias, com candidaturas individuais ou em conjunto. Todos os interessados devem apresentar a documentação e as garantias exigidas até 31 de julho. Uma decisão sobre a nova sede do Europeu de 2015 deve acontecer em 30 de setembro, no máximo", informou.

A retirada do torneio, no entanto, parece não ter abalado o prestígio da Ucrânia junto à Fiba, que prometeu fazer de tudo para ajudar o basquete no país. A entidade ainda garantiu que se os ucranianos tiverem interesse poderão sediar a competição na edição seguinte, em 2017.

"O comitê reconheceu os esforços da Federação Ucraniana no crescimento da modalidade no país nos últimos anos", afirmava a nota. "Por isso, o comitê anunciou o desejo de ajudar a Ucrânia a promover o basquete e decidiu autorizar o presidente da Fiba Europa, Turgay Demirel, a iniciar as negociações imediatamente com os ucranianos com a possibilidade de o país sediar o Europeu de 2017."