Guerra de liminares pode deixar basquete sem campeão

Depois de cinco meses de disputa, o Campeonato Nacional Masculino de Basquete pode não ter vencedor. Terminou sem acordo a reunião desta terça-feira na Federação Paulista de Basquete entre Universo/BRB/DF, COC/Ribeirão Preto e Franca/Unimed/Mariner e o Nacional continua paralisado por força de liminar que o Universo/BRB obteve na Justiça comum. O time alega ter sido prejudicado no jogo que perdeu da Telemar/Rio no hexagonal semifinal porque o armador Arnaldinho jogou em situação irregular. Mas Arnaldinho estava amparado por liminar. Por meio de seu advogado, Jorge Bastos, a equipe de Brasília se propôs a retirar a liminar em troca da realização de um triangular para definir quem iria para a final, em melhor-de-cinco jogos - Franca e Ribeirão já começaram a decidir o título. A proposta foi rejeitada por Ribeirão. Franca até aceitaria disputar o triangular para ?decidir o título na quadra?. O presidente da Confederação Brasileira de Basquete (CBB), Gerasime Grego Bozikis, saiu às pressas da reunião - alegou que precisava pegar o avião para o Rio -, mas lamentou o impasse. ?Não conseguimos chegar a um acordo. Vamos continuar tentando.? Sem acordo, será preciso esperar que a Justiça julgue a liminar do Universo, o que pode levar 30 dias. Segundo os representantes de Franca e de Ribeirão, se não houver solução até terça-feira, a temporada deve acabar sem campeão, pois não haverá como segurar os contratos dos jogadores. ?Temos tido prejuízo sob todos os aspectos e isso vai além do lado financeiro?, afirmou Hélio Rubens, técnico de Franca. ?Quando as ações atingem a essência do basquete, que é o jogo, significa parar a modalidade. O prejuízo financeiro é pequeno tendo em vista o abalo da credibilidade do esporte?, ressaltou Aluísio Ferreira, o Lula, treinador de Ribeirão e da seleção brasileira, que este ano disputará o Mundial do Japão, em agosto. ?O Brasil vai acabar não conseguindo vaga olímpica por força de liminar?, desabafa Lula.

Agencia Estado,

30 Maio 2006 | 22h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.