Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Jogadoras que boicotaram seleção de basquete boicotam também oitiva no STJD

Basquete

esportes

basquete

Jogadoras que boicotaram seleção de basquete boicotam também oitiva no STJD

Nenhuma das sete jogadoras que boicotaram o evento-teste do basquete compareceu à oitiva marcada para esta quinta-feira pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) da Confederação Brasileira de Basquete (CBB). A convocação causou grande polêmica porque as jogadoras foram chamadas a depor num raro dia de rodada na Liga de Basquete Feminino (LBF).

0

Estadão Conteúdo

21 Janeiro 2016 | 20h40

Gilmara, Joice (Americana/Corinthians), Adrianinha, Tati Pacheco, Tainá Paixão (América-PE), Jaqueline e Tássia (Santo André) foram convocadas pelo STJD a depor no Rio na tarde desta quinta-feira. À noite, tanto o Corinthians quanto o América-PE entrariam em quadra em suas cidades para a retomada da LBF após um mês sem jogos.

As sete jogadoras pediram dispensa da convocação para o evento-teste, em boicote liderado por cinco dos seis clubes que disputam a LBF. Jaqueline e Tássia falaram em "razões particulares", enquanto Adrianinha, Tainá e Tati, do América-PE, explicaram a ausência por "motivos particulares, que fogem do meu controle". Joice pediu dispensa por "razões particulares", enquanto Gilmara alegou "motivos familiares de foro íntimo".

Entre as jogadoras convocadas, apenas a ala Clarissa, então no Corinthians, furou o boicote. A pivô, uma das principais atletas de basquete do País, acabou demitida quando voltou do evento-teste, porque o clube alega que não a liberou para faltar aos treinos do time.

A CBB, entretanto, entende que as jogadoras tinham a obrigação de se apresentar à seleção brasileira. Por isso, denunciou o caso ao STJD, que pretendia ouvir nesta quinta-feira as jogadoras que furaram o boicote, o técnico Antônio Carlos Barbosa, o diretor técnico Vanderlei e o presidente do Americana, Ricardo Molina.

"Eu aceitei as justificativas apresentadas e no momento não há risco de ninguém ser denunciado porque não compareceu a essa oitiva. Eu vou analisar as ausências dos depoentes e juntamente com as provas que tenho nos autos para fazer um relatório. O mesmo será encaminhado no para o presidente do STJD no próximo dia 27", explicou ao site da CBB o auditor Paulo Valed Perry.

Mais conteúdo sobre:

Comentários