1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Magnano elogia defesa e critica erro de pontaria nos arremessos

Estadão Conteúdo

30 Agosto 2014 | 17h 41

Seleção Brasileira bateu a França por 65 a 63 na estreia do Mundial de Basquete, mas técnico critica baixo aproveitamento

O técnico Rubén Magnano não utilizou apenas elogios para avaliar a estreia vitoriosa da seleção brasileira masculina no Mundial de Basquete. Neste sábado, em Granada, a equipe derrotou a França por 65 a 63 e, embora tenha exaltado o desempenho defensivo, o treinador criticou o baixo aproveitamento nos arremessos de dois pontos e nos lances livres. Porém, disse acreditar que o Brasil vai deslanchar no torneio após esse primeiro compromisso.

"Diante do nosso baixo porcentual de acerto nos arremessos de dois pontos e lances livres, foi uma grande vitória. Jogamos contra o campeão da Europa. Começamos a construir o resultado a partir do momento que defendemos bem. Posso dizer que tudo foi construído em função da determinação defensiva da equipe. Foi uma estreia difícil, acho que a tendência agora é a equipe se soltar mais", analisou.

Com 16 pontos, cinco assistências e dois rebotes, Marcelinho Huertas foi o principal destaque da vitória. Ele reconheceu que o nervosismo atrapalhou o desempenho do Brasil, especialmente no primeiro quarto, e avaliou que o triunfo poderia ter sido definido com uma margem maior de pontos, não fossem os muitos erros cometidos.

Daniel Tejedor/AP
Magnano cobrou melhor desempenho nos dois pontos e nos lances livres

"Foi uma partida difícil e equilibrada e no primeiro período o time esteve muito ansioso e um pouco nervoso. A partir do segundo quarto controlamos o jogo, chegamos a abrir vantagem várias vezes, mas erramos muitos lances livres. A verdade é que a vantagem final poderia ter sido bem maior. O importante foi começar com vitória sobre o atual campeão europeu e esse resultado dá mais moral para a equipe", analisou Huertas.

O Brasil volta a jogar neste domingo, às 13 horas (de Brasília), diante do Irã. Embora a seleção tenha superado o adversário com facilidade durante a fase de preparação para o Mundial, Magnano negou que a sua equipe terá tranquilidade para assegurar mais uma vitória.

"Não podemos pensar que o Irã será o mesmo que vencemos por quarenta pontos de diferença no Torneio da Eslovênia. É um time que pode surpreender e tem um dos pivôs mais altos da Copa do Mundo, se não for o mais alto", afirmou o treinador.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo