Joaquin Sarmiento/AFP
Joaquin Sarmiento/AFP

Pela primeira vez na história, seleção masculina de basquete não jogará o Pan

Fiasco na Copa América impede equipe de lutar pelo 15º pódio e sétimo ouro na competição continental

O Estado de S.Paulo

29 Agosto 2017 | 23h50

Pela primeira vez na história o Brasil não disputará os Jogos Pan-Americanos com uma equipe masculina de basquete. Ao lado dos Estados Unidos, a seleção foi a única que participou de todas as 17 edições. Mas nos Jogos de Lima, em 2019, ficará fora depois do fiasco na Copa América. No feminino, o Brasil já tinha conquistado sua vaga para o Pan.

Historicamente, o Brasil é a segunda maior potência do Pan no basquete, com 14 pódios, o mesmo número dos Estados Unidos, mas apenas seis ouros, contra oito dos norte-americanos. A ausência no Pan de Lima vem da péssima campanha na Copa América e decorre da grave crise financeira e administrativa pela qual passou a CBB (Confederação Brasileira de Basquete).

 

 

A confirmação da ausência do Brasil foi sacramentada nesta terça-feira com os resultados dos grupos B e C da Copa América. A vitória do Canadá sobre a Venezuela por 76 a 66 acabou com as chances do time comandado por Cesar Guidetti. O torneio garante vaga no Pan aos sete mais bem colocados, mas o Brasil não figura nesta lista - a outra vaga é do Peru, por ser país-sede.

Em sua campanha, o Brasil venceu apenas a Colômbia, na estreia, por um placar apertado. Mas depois caiu diante do México e de Porto Rico. Para piorar, Bruno Caboclo se recusou a jogar durante o torneio e foi afastado. Ele já tinha negado a seleção no Pan de Toronto e nos Jogos do Rio. Tudo isso só aumentou a crise na seleção.

A frustração é bem grande, ainda mais porque se comemorou recentemente 30 anos da vitória histórica no Pan de Indianápolis, quando o Brasil de Oscar e Marcel ganhou dos Estados Unidos, maior potência da modalidade, na casa do rival. Longe de Lima, o Brasil não poderá defender seu título conquistado em Toronto, em 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.