1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Rubén Magnano é o novo técnico da seleção de basquete

AE - Agencia Estado

16 Janeiro 2010 | 10h 00

Técnico argentino levou a seleção de seu país ao ouro olímpico de 2004, em Atenas, e o vice mundial em 2002

Campeão olímpico em Atenas/2004, o argentino Rubén Magnano é o novo técnico da seleção brasileira masculina de basquete. A confirmação do acerto com o treinador, que substituirá o espanhol Moncho Monsalve, ocorreu na manhã deste sábado.

Magnano, que também comandou a Argentina no vice-campeonato do Mundial de Indianápolis, em 2002, terá como missão principal neste ano o Campeonato Mundial da Turquia, entre os dias 28 de agosto e 12 de setembro. O argentino tem contrato até o pré-olímpico de 2012, mas pode ter o vínculo estendido até os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. 

O novo técnico ocupará a vaga de Moncho, que não chegou a um acordo com a Confederação Brasileira de Basquete (CBB). O espanhol deixa o cargo após levar a seleção ao festejado título da Copa América, no ano passado.

A chegada de Magnano já era esperada desde o início do mês, quando começaram os primeiros boatos sobre a contratação do argentino. "Foi uma longa reunião na sexta-feira para acertamos uma série de detalhes. Ele ficará no Brasil durante doze meses e vai ajudar no desenvolvimento dos nossos projetos. Começamos uma nova fase e vamos manter o basquete brasileiro entre os melhores do mundo", garantiu o presidente da CBB, Carlos Nunes.

Após ser confirmado no cargo, Magnano agradeceu o apoio da CBB e prometeu dedicação à frente da equipe brasileira. "Em primeiro lugar gostaria de agradecer aos dirigentes da CBB pela confiança em mim depositada. Com certeza, é um grande desafio e uma honra desenvolver um trabalho na seleção brasileira. Conto com o apoio dos jogadores, dirigentes e de todos os que amam o basquete brasileiro para desenvolver esse trabalho", afirmou.

O argentino também disse que pretende viajar para conhecer os jogadores que atuam fora do País. "O Brasil conta com excelentes jogadores que atuam dentro e fora do país. Vou viajar e conversar com eles para saber como cada um está e os seus objetivos. Também vou trabalhar com a base e colaborar com a Escola Nacional de Treinadores", contou.