Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Seleção Brasileira bate França na estreia do Mundial de Basquete

Basquete

Esportes

basquete

Seleção Brasileira bate França na estreia do Mundial de Basquete

Em Granada, Brasil sofre no final, mas garante vitória contra a atual campeã europeia. Neste domingo, o adversário será o Irã

0

Estadão Conteúdo

30 Agosto 2014 | 15h01

A seleção brasileira masculina de basquete superou um início de partida muito ruim para conseguir uma importante e convincente vitória na estreia no Mundial da Espanha. Neste sábado, na cidade de Granada, os comandados de Rubén Magnano mostraram um ótimo desempenho a partir do segundo período, sofreram um pouco no fim, mas derrotaram a poderosa França, atual campeã europeia, por 65 a 63.

Com o resultado, o Brasil sai em vantagem no Grupo A da competição, ao lado da Sérvia, que venceu neste sábado o Egito com facilidade. No domingo, às 13 horas (de Brasília), a seleção volta à quadra para enfrentar o Irã. Já os franceses tentarão a recuperação contra a Sérvia, no mesmo dia.

O time francês sentiu muito a ausência de alguns de seus principais astros, como Ian Mahinmi, do Indiana Pacers, e principalmente Tony Parker, do San Antonio Spurs. O Brasil se aproveitou e, com uma grande atuação coletiva a partir do segundo período, arrancou para a vitória.

O cestinha brasileiro e da partida foi o armador Marcelinho Huertas, que marcou 16 pontos e ainda anotou cinco assistências. Marquinhos, com 10 pontos, Leandrinho e Anderson Varejão, com oito cada, também foram fundamentais. Varejão ainda pegou nove rebotes. Pela França, destaque para Boris Diaw, do San Antonio Spurs, com 15 pontos, e Nicolas Batum, do Portland Trail Blazers, com 13.

O JOGO

O começo foi muito ruim para a seleção, que não conseguia parar a força do jogo de garrafão da França e via Nicolas Batum e o jovem Rudy Gobert, de apenas 22 anos, tomarem conta do jogo. O ataque também estava travado e só conseguia pontuar em lances de transição. O time francês aproveitou para abrir vantagem, que chegou a ser de nove pontos, mas estabilizou em sete.

O cenário começou a mudar com a entrada de Leandrinho, que acertou duas bolas consecutivas para três pontos. No segundo quarto, o time de Rubén Magnano encontrou seu posicionamento defensivo e conseguiu buscar pontos fáceis no contra-ataque. A dificuldade era parar Gobert.

A pouco mais de dois minutos para o fim do primeiro tempo, o Brasil deixou tudo igual. Raulzinho, que entrou muito bem no jogo, deu a primeira liderança da partida à seleção, que foi para o intervalo vencendo por 28 a 26.

O terceiro quarto começou ainda melhor. Batum e Gobbert já não conseguiam espaço no garrafão e até os rebotes, no início dominados pelos franceses, já paravam nas mãos de brasileiros. Fruto do bom trabalho de Nenê, Splitter e, principalmente, Varejão. No ataque, Raulzinho organizava o jogo com extrema qualidade e a vantagem subiu.

O panorama foi mantido para o último período. Fosse com Raulzinho ou com Marcelinho, o Brasil fazia um bom trabalho ofensivo, o que fez a diferença subir para oito pontos. Foi aí que apareceu Boris Diaw. Pontuando ou dando assistências, o jogador do San Antonio Spurs regia a reação francesa.

O time brasileiro, talvez sentindo o peso da estreia, passou a ter dificuldade no ataque. Com Diaw inspirado, a França cortou a diferença para quatro e teve a chance de encostar ainda mais, mas Heurtel errou bola fácil. No fim, ainda tentou encostar cometendo faltas e puxando ataques rápidos. Heurtel chegou a diminuir a diferença para um ponto a dois segundos para o fim, mas já era tarde.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.