Abel esconde substituto de Sornoza, mas deve escalar Douglas no Fluminense

Meia equatoriano está fora por três meses por conta de fratura no tornozelo

O Estado de S.Paulo

26 Maio 2017 | 15h02

O técnico Abel Braga afirmou, em entrevista coletiva nesta sexta-feira, que já tem definido o nome do substituto do meia equatoriano Sornoza, que sofreu uma fratura no tornozelo esquerdo e deverá ficar fora da equipe do Fluminense por três meses, para o jogo contra o Vasco, neste sábado, às 16 horas, em São Januário, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Entretanto, o comandante não quis revelar quem foi o escolhido, que deverá ser Douglas.

"A decisão já está tomada desde terça. E avisei para ele se preparar bem. Tenho duas ou três opções, não vou inventar nada", garantiu o treinador. "A nossa tática não muda sem o Sornoza. Vamos procurar fazer um bom jogo. Não vamos deixar a nossa ofensividade de lado. Temos uma longa ideia de onde podemos chegar, do que podemos fazer", complementou Abel.

O treinador também confirmou a ausência de Wellington Silva no clássico devido ao surgimento de uma pubalgia. Abel lamentou as perdas de jogadores por contusões, mas valorizou a qualidade do elenco do Fluminense. "Foi o Scarpa, o Douglas, agora o Wellington, o Junior. Acreditamos em todos eles, isso é um grupo. Há uma sintonia muito grande na relação. O grupo está muito fechado", enfatizou o técnico.

O elenco treinou nesta sexta-feira no CT Pedro Antonio, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, para finalizar a preparação do time com vistas ao duelo diante do rival cruzmaltino. Douglas foi escalado na equipe titular na vaga de Sornoza.

O Fluminense deverá entrar em campo neste sábado com a seguinte formação: Diego Cavalieri, Lucas, Nogueira, Henrique e Léo; Orejuela, Douglas e Wendel; Gustavo Scarpa, Richarlison e Henrique Dourado.

A qualidade do grupo também foi apontada como fator importante para superar o Vasco pelo atacante Henrique Dourado. O centroavante também destacou a evolução do time vascaíno e citou a análise feita sobre as características do adversário como arma para vencer o clássico.

"Nossa equipe tem qualidade, é ir lá e fazer um bom jogo. Da maneira que nós estudamos o Vasco, acredito que poderemos desempenhar um bom papel e sair de lá com o resultado positivo. Temos que ir com muito respeito. Até porque o Vasco é uma equipe que, com o novo treinador, vem jogando bem, fazendo bons jogos. Sabemos das dificuldades que vamos enfrentar", frisou Henrique Dourado.

O clássico entre os rivais será o primeiro em São Januário nos últimos 12 anos. E o Fluminense terá de lutar também para quebrar um longo tabu. O time não vence o Vasco no seu estádio há 44 anos - o último triunfo aconteceu em fevereiro de 1973, por 1 a 0, em um jogo válido pelo Torneio Internacional de Verão.

Mais conteúdo sobre:
Futebol futebol Fluminense Abel Braga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.