Trevor Ruszkowski / USA Today Sports
Trevor Ruszkowski / USA Today Sports

Ainda sem técnico para a Copa, Austrália mira Klinsmann e Eriksson

Dirigentes querem técnico para projeto de longo prazo, também depois do Mundial

Estadão Conteúdo

05 Dezembro 2017 | 09h46

Ainda sem um técnico para a Copa do Mundo, a seleção da Austrália adiou para fevereiro a decisão sobre o futuro comandante da equipe na Rússia. Os principais candidatos do momento são o alemão Jürgen Klinsmann e o sueco Sven Goran Eriksson. De acordo com a Federação Australiana de Futebol, há ainda outros fortes candidatos interessados na vaga.

+ Gareca aprova rivais do Peru na Copa: 'Nos farão buscar o máximo rendimento'

+ Dos 48 jogos da 1ª fase da Copa de 2018, 27 serão inéditos

A entidade, contudo, evita divulgar nomes. "Como se pode imaginar, nós estamos sendo alvo de um alto nível de interesse. Enquanto as coisas não são decididas, ninguém está descartado", afirmou o presidente da federação, David Gallop.

Segundo o dirigente, não haverá qualquer restrição quanto a estrangeiros no comando da seleção. "Estamos de mente aberta. A exigência é que o novo treinador abrace a tarefa tanto dentro quanto fora do campo. E que continue a desenvolver o trabalho técnico e científico que vem sendo realizado com a equipe nos últimos anos."

A Austrália ficou sem técnico logo após o fim das Eliminatórias. Uma semana após sacramentar a vaga australiana no Mundial de 2018, o técnico Ange Postecoglou, australiano de origem grega, anunciou que estava deixando a seleção. Ele havia assumido o cargo em 2013 e liderara a Austrália na Copa do Mundo do Brasil, em 2014.

Com a demissão, a federação decidiu agir com cautela na escolha do novo treinador, principalmente porque a seleção só terá jogos novamente em março do próximo ano. A meta da entidade é fazer uma contratação de longo prazo para o comando da equipe.

"Nosso ponto de partida é escolher um técnico com contrato longo, mas vamos avaliar tudo isso com a ajuda do nosso painel de experts", disse Gallop. "Estamos confiantes de que vamos atrair a pessoa certa para liderar os Socceroos na Copa do Mundo e também depois disso", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.