Ainda sem Yago, Ponte Preta treina com os portões fechados para a finalíssima

Clube precisa reverter desvantagem de 3 a 0 para ser campeão

O Estado de S.Paulo

04 Maio 2017 | 20h10

O mistério promete reinar na Ponte Preta antes do segundo e decisivo jogo contra o Corinthians, às 16 horas de domingo, no Itaquerão, pela finalíssima do Campeonato Paulista. Nesta quinta-feira, o técnico Gilson Kleina comandou o primeiro treinamento fechado para a imprensa.

Ainda com dores no joelho, Yago ficou em tratamento no departamento médico e, se não estiver no treino desta sexta, deve ficar fora do jogo de domingo. Por outro lado, o também zagueiro Marllon volta a ficar à disposição depois de cumprir suspensão automática pelo terceiro cartão amarelo.

Como a atividade no CT do Jardim Eulina foi fechada para a imprensa, ainda não há indícios do time que o treinador pontepretano pretende mandar a campo. Fábio Ferreira, Kadu e Reynaldo são os zagueiros à disposição, além de Marllon, mas Kleina também pode improvisar o volante Wendell na defesa.

REFORÇO

Anunciado no início da semana, o atacante Emerson Sheik realizou nesta quinta sua primeira atividade com a camisa pontepretana. Ainda longe da sua forma física ideal, o jogador correu pelo gramado e deve estar à disposição para a estreia no Campeonato Brasileiro, contra o Sport, no dia 14, em Campinas.

Apesar da diretoria tentar despistar e se dizer focada apenas no jogo de domingo, o planejamento para o Brasileirão continua a todo vapor. Um nome que pode pintar em Campinas é o do atacante Gilmar, que defendeu o Caxias no último Campeonato Gaúcho. De saída do Vasco, o experiente zagueiro Rodrigo manifestou interesse de encerrar a carreira no clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.