Philippe Desmazes/AFP
Philippe Desmazes/AFP

Ajax perde para o Lyon, mas vai à primeira final europeia em 21 anos

Equipe francesa pressiona no fim, mas faz apenas 3 a 1 e vê time holandês se classificar à decisão

Estadão Conteúdo

11 Maio 2017 | 18h10

O Ajax está de volta a uma final de competição europeia, após 21 anos de ausência. O tradicional clube confirmou vaga na grande decisão da Liga Europa nesta quinta-feira, após passar pelo Lyon em uma emocionante semifinal mesmo com a derrota por 3 a 1, na França. A goleada por 4 a 1 na ida, em Amsterdã, garantiu os holandeses na disputa do título.

O Lyon flertou com o improvável mesmo depois de ter saído atrás no placar em casa, chegou a ficar com um jogador a mais na reta final e teve chances para marcar o quarto gol, mas o Ajax foi valente e mostrou o desejo de figurar novamente entre os grandes do futebol do continente.

Esta será a primeira decisão europeia do Ajax desde 1995/1996. Naquela oportunidade, o time de Van der Sar, Frank e Ronald de Boer, Davids, Kluivert e Kanu perdeu a chance de defender o título da Liga dos Campeões ao cair para a Juventus na final, nos pênaltis.

Só que para voltar a ser campeão continental, os holandeses terão a difícil tarefa de encarar o Manchester United, que eliminou o Celta de Vigo na outra semifinal. Os dois gigantes do futebol europeu duelam na decisão do dia 24 de maio, em Solna, nos arredores de Estocolmo, na Suécia.

O JOGO

Por mais que o Lyon precisasse desesperadamente do gol, as primeiras oportunidades foram do Ajax, que aproveitava-se da urgência do adversário para assustar. Aos 12 e aos 13, Traoré e Younes tentaram jogar por cima do goleiro Lopes, mas perderam grandes chances.

A defesa francesa cometia falhas clamorosas, principalmente pelo lado direito, e o Ajax acumulava chances perdidas. Aos 24, Ziyech saiu de frente para Lopes e jogou em cima do goleiro. Mas, finalmente, dois minutos depois saiu o primeiro. Após cobrança de tiro de meta, Dolberg tabelou com Younes, saiu sozinho diante do goleiro e teve calma para dar um toque por cobertura e marcar.

O gol tornava a tarefa do Lyon ainda mais complicada, e, sem nada a perder, os franceses foram para cima. Aos 43, saiu o empate. Tolisso fez boa jogada pela esquerda e tentou o passe, mas a bola tocou na zaga e ficou na área. Lacazette aproveitou e foi calçado por De Ligt. Ele mesmo cobrou o pênalti com categoria e marcou.

O empate deu novas esperanças e incendiou o Lyon, mas foi a virada ainda no primeiro tempo que levou a torcida à loucura. Assustado, o Ajax errou na defesa e viu Fekir fazer o que queria pelo lado direito do ataque antes de cruzar rasteiro. Lacazette, de novo, apareceu para finalizar para o gol.

O intervalo veio e pareceu ter tirado a intensidade do Lyon, porque o time da casa voltou para a etapa final bem menos imponente. Ainda que mantivesse a posse de bola e tomasse a iniciativa, o ritmo já não era o mesmo, e até a torcida esmoreceu. Melhor para o Ajax, que fechava as portas na defesa e contra-atacava com perigo, como aos 16, quando Dolberg quase marcou de novo.

Sem incomodar muito, o Lyon dependeu de um erro da defesa adversária para criar grande chance aos 20, quando De Ligt e Sánchez se desentenderam e a sobra ficou com Fakir, que isolou. Aos 30, Lacazette desviou cruzamento da direita e Rybus parou na boa saída do goleiro Onana.

A resposta do Ajax veio aos 33, com lindo chute de fora da área de Van de Beek, que acertou o travessão. E os centímetros que tiraram a bola da rede fariam diferença, porque somente dois minutos depois, o Lyon chegou ao terceiro gol. Após boa triangulação pela esquerda, Rybus cruzou para Ghezzal, que cabeceou. A bola ainda desviou em Viergever e matou o goleiro Onana.

A infelicidade de Viergever ficaria completa três minutos depois, quando o lateral fez falta dura em Fekir e foi expulso. E o Lyon teve a chance de levar a partida para a prorrogação. Aos 42 minutos, Cornet dominou sozinho na área e bateu cruzado, mas desta vez foi ele quem jogou a centímetros do gol de Onana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.