1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Álbum de figurinhas da Copa vira febre em todo o País

O Estado de S. Paulo

03 Maio 2014 | 17h 00

Até a presidente Dilma Rousseff aderiu à coleção dos cromos do Mundial no Brasil

SÃO PAULO - Depois de um dia estressante no trabalho, no trânsito, na rotina, nada melhor do que chegar em casa e... abrir vários pacotes de figurinhas para o álbum da Copa do Mundo. A busca pelos cromos adesivos e o livro ilustrado, a 39 dias do início do Mundial, mais uma vez seduziu crianças, adultos e até a presidente da República. Dilma Rousseff revelou que entrou na onda de colecionadora junto com o neto, Gabriel, de 3 anos. "É bom, serve para aliviar a tensão do dia a dia da presidência".

 

A febre de colecionar o álbum da Copa, já abrangente no Mundial da África do Sul, em 2010, está maior quatro anos depois. A Panini, editora italiana responsável pelo álbum, não divulga quantos livros ou cromos foram vendidos até agora, um mês depois do início da venda das figurinhas. Mas a tiragem inicial do álbum é de impressionar. Apenas no Brasil, dentre os 120 países em que o livro será distribuído, 8,5 milhões de álbuns entraram em circulação.

 

 

Destes, 6,5 milhões foram distribuídos em ações promocionais. O álbum chegou às bancas em 8 de abril. Não foram poucos os aficionados que, em menos de 30 dias, já completaram as 640 figurinhas, e não se contentam com um álbum só.

 

O consultor de marketing Gustavo Passi, de 26 anos, é um deles. Completou o primeiro álbum na quinta-feira, 1.º de maio, no principal ponto de encontro para trocas em São Paulo, o vão livre do Masp. "Foi uma loucura, tinha umas 400 pessoas lá. Terminei meu álbum e, agora, estou fazendo outro para a minha mulher."

 

Passi é um dos administradores do grupo "Álbum de Figurinhas da Copa do Mundo" no Facebook, que já reúne mais de 14 mil participantes e dezenas de endereços com pontos de encontro para trocas, no Brasil todo – é tanta gente envolvido que há até "código de conduta" (leia abaixo).

 

O Masp é o local "oficial", mas entre os participantes, é consenso que o Shopping Eldorado é endereço precursor dos encontros, ativado na Copa de 2006. O professor de informática Fabianno Xavier, de 31 anos, vai ao Eldorado desde aquela época. "Mas eram uns gatos pingados. No domingo passado, tinham umas 150 pessoas lá."

 

Na época do Mundial da Alemanha, Fabianno era um "colecionador normal", com um só álbum. Mas, em 2010, o seu comportamento mudou. Completou o primeiro livro, e não parou mais. "Cheguei a ter, em mãos, nove coleções". Coleção, define, é ter o número total de cromos de um álbum, não necessariamente colados.

 

O vício – como assim define a paixão pelas figurinhas – deixa a namorada chateada, e prendeu o professor em casa durante todo o fim de semana passado. "Gosto de arrumar as figurinhas, ir nos encontros de trocas". Ele, que gastou R$ 300 para o álbum de 2014, já tem agora três coleções completas. "E a 4, 5 e 6, inacabadas."

 

CÓDIGO DE CONDUTA

Organização: leve aos encontros suas figurinhas com a numeração em ordem. Poupe tempo!

 

Sem diferenciação: Nada de só trocar os cromos holográficos – as famosas figurinhas brilhantes, dos escudos – por iguais, ou dar um número maior de figurinhas por uma considerada "difícil". A Panini garante que todos os cromos são produzidos em igual quantidade.

 

Cole em casa: A ideia é evitar que os locais de encontro fiquem sujos.

 

Sem venda: Os organizadores dos encontros desencorajam a venda avulsa de figurinhas - a menos que sejam de álbuns de Copas passadas, em que o artigo se torna raro

 

LOCAIS DE ENCONTRO PARA TROCAS

Vão livre do Masp: sábados, após as 14 horas

 

Shopping Eldorado: sextas, a partir das 18 horas; sábados, após as 14 horas; e domingos, após as 15 horas (na praça de alimentação e Livraria Saraiva)

 

Estádio do Pacaembu: domingos, a partir das 9 horas (na banca de jornal). No Museu de Futebol, em maio, das 9 às 17h

 

Outros endereços, em várias cidades, no site Encontros de Figurinhas da Copa.

Copa 2014