Ronald Wittek/EFE
Ronald Wittek/EFE

Alemanha goleia Azerbaijão e fecha Eliminatórias com 100% de aproveitamento

Seleção alemã encerra participação no Grupo C com vitória por 5 a 1, dentro de casa

Estadão Conteúdo

08 Outubro 2017 | 18h02

Atual campeã mundial, a seleção da Alemanha sacramentou neste domingo a sua histórica campanha nas Eliminatórias Europeias da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Goleou Azerbaijão com facilidade por 5 a 1, em Kaiserslautern, e terminou a competição com 100% de aproveitamento.

+ Inglaterra vence e fecha Eliminatórias invicta; Eslováquia luta por repescagem

+ Polônia bate Montenegro e se garante na Copa; Dinamarca vai para a repescagem

Mas não foi só. Além de vencer as suas 10 partidas, a Alemanha marcou 43 gols - a Bélgica tem 39, enfrenta Chipre na última rodada e ainda pode ultrapassá-la - e sofreu apenas quatro. Curiosamente, Azerbaijão foi o autor de dois deles, enquanto que República Checa e Irlanda do Norte fizeram os demais. O resultado é um impressionante saldo de 39 gols.

Com tranquilidade, assim, a seleção terminou como líder do Grupo C com 30 pontos. Em seguida ficou a Irlanda do Norte, derrotada neste domingo pela Noruega por 1 a 0, fora de casa, com 19. Ainda assim, a equipe se garantiu na repescagem como um dos oito melhores segundos - a Eslováquia, vice do Grupo F, terminou com 18 pontos.

Já a República Checa, que massacrou o lanterna San Marino neste domingo por 5 a 0, em casa, ficou em terceiro da chave com 15 pontos, dois na frente da Noruega. Em quinto, Azerbaijão somou 10.

Mesmo jogando com uma equipe quase totalmente formada por reservas neste domingo, lembrando em parte o time que conquistou a Copa das Confederações em julho, na Rússia, a Alemanha dominou com facilidade, minimizou o susto sofrido no primeiro tempo e confirmou a sua excelente campanha.

+ Salah marca duas vezes, Egito bate Congo e volta a disputar uma Copa após 28 anos

Logo aos nove minutos, após cobrança de escanteio, Goretzka aproveitou rebote e bateu de calcanhar, firme, no ângulo, para marcar um belo gol. A Alemanha seguia melhor e criava inúmeras oportunidades quando veio o susto aos 33: Mustafi sentiu problema muscular em contra-ataque e Sheydaev se aproveitou, avançou, deu seguidos cortes em Rüdiger e finalizou cruzado para empatar.

Mas a normalidade voltou aos nove minutos do segundo tempo, quando Sandro Wagner marcou de cabeça - o zagueiro ainda tentou salvar e o gol foi validado com o auxílio da tecnologia. Rüdiger, Goretzka e Emre Can, em bom chute de fora da área, completaram o placar e sacramentaram o grande momento da seleção alemã.

Classificada à repescagem mesmo antes de entrar em campo, a Irlanda do Norte fez um jogo sonolento e foi derrotada pela Noruega em um estranho gol sofrido aos 26 do segundo tempo: após cruzamento na área, o goleiro cortou para trás, o lateral-esquerdo Chris Brunt foi afastar e acertou o ângulo. Ainda assim, a seleção britânica manteve o sonho de disputar a Copa do Mundo da Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.