1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Ameaças podem tirar Roberto Carlos do Corinthians

VÍTOR MARQUES - Jornal da Tarde

10 Fevereiro 2011 | 19h 33

Com contrato até 2011, lateral poderia alegar falta de segurança para trabalhar e rescindir o acordo

SÃO PAULO - O Corinthians pode perder mais um ídolo por causa da pressão - e da violência - de sua torcida. Depois de Rivelino, Edílson, Tevez e Marcelinho Carioca, entre outros, agora é Roberto Carlos que pode deixar o clube por conta da perseguição que tem sofrido por parte da torcida corintiana.

Amigo pessoal de David Beckham, com quem jogou no Real Madrid, Roberto Carlos já comentou a amigos que recebeu uma proposta financeiramente muito boa para se transferir para o atual clube do inglês: o Los Angeles Galaxy. O astro britânico deve deixar o time norte-americano em novembro e o brasileiro poderia ser seu substituto como ídolo e garoto-propaganda.

Nesta sexta-feira, o presidente Andrés Sanchez volta da Europa e tem uma reunião marcada com Fabiano Farah, empresário de Roberto Carlos e de Ronaldo. Diferentemente do atacante, o lateral-esquerdo não tem vínculo com o marketing do clube. Com contrato até 2011, poderia alegar falta de segurança para trabalhar e rescindir o acordo.

"O Corinthians não recebeu nenhuma proposta por Roberto Carlos. E se isso acontecer nas próximas horas, vamos sentar e conversar. Não posso nem falar em valores, de quanto receberíamos se ele saísse. Isso é um fato novo", disse o diretor de futebol Roberto de Andrade.

O diretor adjunto de futebol do clube, Duílio Monteiro Alves, afirmou que conversou com Roberto Carlos antes do treino desta quinta-feira no CT. Disse que o lateral tem preocupações com os atos de vandalismo que ocorreram no CT e que o jogador confirmou que tem recebido ameaças. "Temos interesse que o Roberto Carlos continue conosco, mas queremos que ele fique tranquilo e satisfeito no Corinthians", afirmou o dirigente.

Recentemente, em entrevista ao jornal espanhol AS, Roberto Carlos revelou que gostaria de jogar nos Estados Unidos. "Estive com minha família em Nova Iorque e Orlando e as pessoas me reconhecem nas ruas, (jogar lá) seria uma experiência muito boa", afirmou.

Questionado sobre a veracidade da declaração que Roberto Carlos deu mais cedo a um site, quando disse que recebeu ameaças da torcida, Roberto de Andrade foi direto: "Se ele disse que recebeu, deve ter recebido mesmo, porque todo mundo recebeu algum tipo de ameaça. Não foi só ele", lamentou o dirigente.