América pode igualar recorde do Ibis

O América pode igualar amanhã o recorde do Ibis-PE, o pior time do mundo, que em 1981 foi derrotado 11 vezes consecutivas. A equipe carioca, lanterna do Torneio Rio-São Paulo, enfrenta o Americano, em Campos, e, se perder, deve receber convite do Ibis para um desafio. "Não temos recurso para bancar um amistoso com o América, mas se algum empresário da nossa terra topar, vamos pensar seriamente na possibilidade", disse o diretor do Ibis, Joaquim Caldas. "O América já é uma ameaça para o Ibis." Para tentar frear a péssima campanha, a diretoria do América contratou o tricampeão mundial Carlos Alberto Torres para treinar o time, quatro rodadas atrás. O investimento não trouxe resultado. Ao todo, o América disputou dez partidas no torneio, perdeu todas. Marcou seis gols e levou 36. Foi quem sofreu a maior goleada no Rio-São Paulo: 8 a 0 para o Fluminense, atuando em casa, no Estádio Giulite Coutinho. Apesar de um passado bonito, detentor de sete títulos estaduais, o América enfraqueceu-se nas últimas décadas, o que provocou a deserção de alguns de seus ilustres torcedores: o sambista Moreira da Silva trocou-o pelo Flamengo; mais recentemente, o humorista Chico Anysio tomou decisão parecida: passou a torcer pelo Vasco. Mesmo o clube vivendo grave crise, existem os mais persistentes, que não o abandonam em nenhuma circunstância. Como por exemplo o general Newton Cruz, ex-chefe do Serviço Nacional de Informações (SNI). Até os anos 70, ele desfrutava da companhia de outros colegas de farda na torcida do América, entre os quais o também general Golbery do Couto e Silva.

Agencia Estado,

19 Março 2002 | 19h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.